Voluntária busca ajuda para tentar salvar cadela doente na cidade de Patos



A situação lamentável de animais de rua, principalmente cães, na cidade de Patos, vem sendo tema de muita discussão e de revolta. A redação do Patosonline.com recebeu o apelo da jovem Karla Alburez, residente no Conjunto Noé Trajano, que relatou o caso da cadela “Dora”.

A cadela ficou muitos dias nas imediações da Maternidade Dr. Peregrino Filho, Bairro Maternidade, em Patos, mas acabou sendo resgatada por Karla, porém, diante de uma série de problemas de saúde na cadela, a jovem a levou para sua casa, mas o tratamento ficou muito dispendioso para a realidade econômica da voluntária.

Karla fez o seguinte relato:

“Oi pessoal, tudo bem com vocês? Me chamo Dora! Sou uma cadelinha de rua com aproximadamente 7 meses. Vou contar um pouquinho da minha triste história. Bem, eu vivia nas imediações do bairro da maternidade aqui em Patos. Passando fome, sede, estando muito magrinha e bastante debilitada. Alguém me enxergou e mostrou minha foto à uma das minhas mães, elas não me ignoraram e foram na minha procura, viajei da Maternidade para o Noé Trajano e aqui continua minha luta pela vida.

Fui levada ao veterinário onde foi constatado o quão crítico é o meu estado de saúde. Estou com uma anemia severa, 75% dos meus rins comprometidos, problemas no fígado e no baço. Triste, né? Sem falar na forte suspeita de estar com leishimaniose.

Estou em tratamento, pois necessito estar no soro devido a que também estou com um quadro intenso de desidratação. Estou fazendo uso de várias medicações como Kestosteril e além de estar me alimentado de fígado e ração renal através de uma seringa, pois não tenho forças para me alimentar sozinha.

Infelizmente minha conta lá no tio que tá nos ajudando já está bem alta e minhas mães estão desempregadas. Sei que elas estão fazendo tudo, tudo o que podem, mas é na parte financeira que tudo fica difícil, pois meu tratamento tem um alto custo.

No meu último hemograma foi descoberto que preciso urgente de uma transfusão de sangue e as minhas mãezinhas não podem custear, pois o gasto com o meu tratamento vem sendo já bem alto.

Então minha gente venho humildemente pedir ajuda de vocês pra que elas possam me salvar. Caso possam ajudar, ficarei eternamente grata. E espero que em breve possa estar trazendo boas notícias a todos vocês.

Que Deus os abençoe!

Com amor, Dora!

Caso vocês desejem ajudar Dora, com alguma quantia, entrar em contato com a mamãe Karla (83 9 9417 2416)

Patosonline.com