Vilar espera 4 de Julho tentando surpreender e quer Botafogo-PB equilibrado

Foto: Divulgação/Botafogo-PB



A ansiedade começa a bater forte a medida que se aproxima a estreia do Botafogo-PB na Copa do Nordeste.

No próximo sábado (27), o Belo recebe o 4 de Julho, atual campeão do Piauí, no estádio Almeidão, às 16h, e não vai poder contar com seu torcedor nessa estreia que também marca o início de um processo de reestruturação financeira do clube após uma gestão desastrosa que encontrou cofres cheios e saiu deixando dívidas.

O calor do torcedor botafoguense é conhecido por Marcelo Vilar, técnico do time da estrela vermelha, que em sua outra passagem venceu dois Campeonatos Paraibanos e a Série D do Campeonato Brasileiro, sempre utilizando a força do Almeidão cheio. Sem essa possibilidade, ele ainda assim quer aproveitar da vantagem de jogar em casa para buscar um bom resultado.

– Procuro fazer com que nosso time jogue da mesma forma em casa ou fora. Sem a presença do torcedor, a gente sente falta do calor humano, mas a gente vai procurar se concentrar mais dentro do campo e ver as situações que precisam ser resolvidas para que a gente possa conseguir a vitória – disse.

Uma das “novidades” dessa segunda passagem do treinador pelo clube é que na pré-temporada, em dois dos três amistosos, o time adotou uma postura mais agressiva, diferente do pragmatismo que o fez ser vencedor anteriormente. Esse estilo ofensivo e de pressão no adversário deve ser mantido pelo menos para a estreia contra um adversário menos tradicional.

– Com relação a forma propositiva de jogar, é isso que a gente pretende, fazer com que o Botafogo-PB faça um jogo proativo, um jogo inteligente. Voltando aquela máxima do futebol de ser um time que quando esteja com a bola agrida o adversário, e quando estiver sem a bola seja um time que marque forte, porque vai ser necessário. O equilíbrio entre os times na Copa do Nordeste, presume-se que seja grande, então tem que ser um time que marque e jogue – explicou.

Para a partida, o Botafogo-PB tem duas baixas importantes. O meia Esquerdinha e o atacante Bruno Gonçalves se lesionaram, com uma fratura na clavícula e ruptura dos ligamentos do joelho direito, respectivamente, e ficarão de fora provavelmente de todo Nordestão. Ainda sem reposições disponíveis (Clayton ainda não foi anunciado oficialmente), Marcelo Vilar espera encontrar dentro do elenco opções para manter o estilo de jogo.

– São duas baixas significativas, jogadores que vieram contratados pontualmente para serem protagonistas. A direção está correndo atrás para repor essas peças, e a gente espera encontrar isso. Por enquanto, olhando por outro lado, teremos a chance de dar oportunidade a outros jogadores que vinham treinando bem. Espero que eles possam suprir a necessidade atual do elenco – disse.

Por fim, o técnico botafoguense espera um jogo difícil, apesar do adversário ser, em tese, mais fraco. Vilar fez questão de exaltar Flávio Araújo, comandante rival, vice-campeão da Série D com o Treze, e conhecido de longa data do futebol nordestino.

– O time do 4 de Julho, a gente tem acesso na internet, e eles ao nosso. Conheço o Flávio (Araújo) de muito tempo, é amigo de velha data, jogamos juntos, nos enfrentamos diversas vezes. O Flávio não é um treinador de vir para cá e ficar só na forma reativa. Ele vai procurar agredir o Botafogo-PB, e o Botafogo-PB vai estar preparado para isso, para fazer o que vem fazendo nos treinamentos e impor seu ritmo de jogo – concluiu.


Equipe @Vozdatorcida