• Dra Milena
Locais

Vereadores denunciam na tribuna falhas nos serviços da Cagepa em Patos; gerente rebate informações – ouça

ÓTICAS GUIMARÃES

Após receberem inúmeras reclamações da população de Patos e região metropolitana sobre diversas falhas nos serviços prestados pela Cagepa, os vereadores Jamersom Ferreira (PL) e Josmá Oliveira (Patriota) usaram a tribuna da Câmara Municipal de Patos para reclamarem do que eles chamaram de inoperância da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba, na sessão dessa terça-feira, dia 26.

O vereador Jamersom, que também é apresentador em um programa de rádio, disse que recebeu reclamações de moradores de vários bairros de Patos que estão sem água há vários dias. Ele criticou as condições da adutora Coremas/Sabugi, responsável por parte do abastecimento do município.

“A cidade, quase que a metade, está faltando água de forma intermitente, seguidos dias. A adutora está toda esbagaçada, ela não aguenta mais a vazão da pressão da água. É um novo pleito para a cidade de Patos. É uma nova adutora, não é possível a substituição, uma captação mais à frente, com canos de aço para que aguente a pressão. Bairros como parte do Jatobá, Santo Antônio, Salgadinho, Vista da Serra, Sapateiros, Bairro dos Estados, diziam que a água chegou da cor de suco de tamarino, café, coca-cola, e com odor não muito agradável. Este ano é ano de deputado sair do buraco, e tomara que a população grite para que seja ouvida”, disse o vereador.

Já o vereador Josmá, disse que foi procurado por cidadãos que estavam sem água há 10 dias. Ele reclamou que, apesar da falta de água, o valor é altíssimo. Ele considerou os serviços da Cagepa em Patos como “péssimo”. Ele ainda acusou a Cagepa de destruir a malha asfáltica da cidade e passar 15 dias para tapar um buraco aberto para reparo.

“Á água chega de madrugada, passa duas horinhas, e vai embora novamente. O cidadão paga um metro de água e paga por dez. É um roubo; o cidadão é roubado pela Cagepa, que presta um péssimo serviço em Patos. A água é suja, fedorenta, nem sei se é própria para o consumo humano. Os cidadãos estão sofrendo com a falta de água. Há sempre alguns lá dentro para dizer que está tudo normal, mas não está. Eu ando nos bairros, falo com os cidadãos. Enquanto isso, temos servidores, apadrinhados políticos que recebem mais de R$ 30 mil por mês. Nós estamos apurando e talvez tenhamos que acionar o Ministério Público também”, prometeu o vereador.

Em resposta a essas manifestações, o gerente da Cagepa, regional das Espinharas, Jônatas Raulino, disse que o problema referente à falta de água é devido a dois graves danos provocados na tubulação, em São Bentinho, por uma obra particular. Ele também rebateu a denúncia de supersalários, ao afirmar que ganha bem menos que o que foi anunciado pelo vereador.

“Nós tivemos uma problemática muito grande, que já foi muito divulgado. Nós somos atendidos por uma adutora que tem 80km, percurso grande, não é tranquilo. Durante esse percurso, temos diversas adversidades. Infelizmente, nós somos atendidos por uma adutora que percorre 80km, e os reservatórios de Patos contribuem, mas não de uma forma satisfatória. A contribuição maior é Coremas. Quanto à fala do vereador, ele demonstra total desconhecimento da Cagepa, me ofereço a sair de Coremas visitando as estações. E sobre o meu salário, é curto, ele pode consultar, eu sou leiturista, me formei, tenho mestrado, doutorado, mas meu salário é pequeno”, argumentou o gerente.

Ouça os áudios na íntegra abaixo:

Gerente Regional das Espinharas, Jônatas Raulino
Vereador Jamerson Ferreira
Vereador Josmá Oliveira

Patosonline.com


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo