Vereadora Lucinha Peixoto defende inclusão dos agentes municipais de trânsito entre as categorias com direito a gratificação covid-19



O prefeito interino Ivanes Lacerda enviou à Câmara de Vereadores um Projeto de Lei que cria uma gratificação extraordinária e transitória de R$ 400,000 para os servidores municipais que estão trabalhando na linha de frente do combate ao coronavírus COVID-19 em Patos.

Na noite de ontem, 20/05, a vereadora Lucinha Peixoto (PC do B) criticou o valor de R$ 400,00, afirmando que “esse valor deveria ser de pelo menos R$ 800,00 (oitocentos reais), pois o servidor da linha de frente coloca em risco sua vida e a da sua família”. Apesar da crítica, Lucinha disse que votará a favor do projeto.

Em uma outra crítica feita pela vereadora, a parlamentar do PC do B afirmou que “entre as categorias beneficiadas não constam os Agentes Municipais de Trânsito, que também estão na linha de frente do combate ao coronavírus e desenvolvem um serviço essencial de segurança viária.” Lucinha Peixoto afirmou na sua publicação que na categoria da STTRANS já existe um servidor que foi contaminado pelo COVID-19 em serviço.

A vereadora disse ainda que ao analisar o projeto observou que o mesmo prevê a possibilidade de a Prefeitura pagar q gratificação para outros servidores não citados expressamente, porém, o texto enviado pelo prefeito interino “utiliza o termo Secretaria e a STTRANS é uma Autarquia”, o que excluiria os agentes de trânsito.

Por fim, Lucinha Peixoto disse que a “luta na Câmara de Vereadores será para incluir os agentes municipais de trânsito entre os servidores com direito a gratificação que está sendo criada e, dessa forma, reconhecer o trabalho essencial dessa importante categoria que trata diretamente com o público em geral.”

O projeto de lei deverá ser lido na sessão de hoje e depois para comissões.

Assessoria