• Dra Milena
Politica

Vereador Josmá cobra medidas mais enérgicas do MPPB sobre falta de medicamentos em Patos. Gestão rebate e discorda de acusações do parlamentar

ÓTICAS GUIMARÃES

O vereador Josmá Oliveira, PL, ingressou com mais uma representação no Ministério Público Estadual, contra o prefeito Nabor Wanderley, chefe do poder executivo em nossa cidade, alegando a constante falta de medicamentos nas prateleiras das farmácias básicas de Patos.

E sobre o assunto, revelou em tom de revolta, Josmá: “Vejam os senhores patoenses, essa é a quinta ação que ingressamos no MPPB, agora, mais do que nunca, solicitando uma atitude mais rigorosa ou enérgica por parte da Justiça, a fim de que seja solucionado, de uma vez por todas, esse gravíssimo problema.
São dezenas de pessoas, homens e mulheres idosos, que necessitam dos fármacos distribuídos pelas citadas farmácias, sendo que a verba alocada para a aquisição desses produtos é oriunda dos impostos que pagamos, assim como do Governo Federal, que tem se portado de maneira digna, em relação à população brasileira.

O senhor prefeito, entretanto, parece não se importar com o poder judiciário, haja vista que esse dilema dista de um bom tempo, sem que se solucione esse drama.

São remédios controlados, de uso contínuo, que não podem faltar no dia a dia dessas pessoas pobres, que não têm condições de comprar. Mas o prefeito, que governa por conta de uma liminar, parece não ter sentimento, não vendo o mal que voluntariamente pratica, tendo aliados os que vivem nas tetas da edilidade; por isso se calam e ainda tomam posição contra o povo.

Não veem que esses podiam ser o seu pai, mãe ou irmão, e que todos, no contexto, são filhos de Deus. Enquanto não se resolve esse problema, vão continuar a peregrinação nas farmácias vazias da prefeitura, sofrendo, vítimas de seus males, alguns indo a óbito e sem que haja punição. Daí pedirmos para que o Ministério Público, após constatar a nossa denúncia, tome medidas mais enérgicas contra um administrador que até o presente nada fez para justificar sua eleição!”

Segundo a representação enviada ao MPPB pelo parlamentar, estão em falta os seguintes medicamentos:

  • Nimesulina 100mg
  • Dipirona 500mg (comprimidos)
  • Ibuprofeno 600mg
  • Losartana 50mg
  • Hidroclorotiazida 25mg
  • Loratadina 10mg
  • Diazepam 10mg
  • Sertralina 50mg
  • Alprozolan 0,5mg
  • Sinvastatina 50mg
  • Xarope Dexametasona
  • Ocylin 500mg
  • Rivotril 2,5 em gotas
  • Queapina
  • Zopidem 10 ml

O vereador reforçou que esteve fiscalizando as farmácias por duas vezes nos últimos 40 dias e a falta de medicamentos continua.

OUTRO LADO:

A redação do Patosonline.com entrou em contato com o Assessor de Comunicação da Prefeitura de Patos, Ulisses Neto, que rebateu e discordou das alegações do vereador, afirmando que as farmácias estão abastecidas e que o único déficit de medicamentos se deu em um período de desabastecimento a nível internacional.

“A farmácia está abastecida, o único déficit que existiu foi por desabastecimento a nível internacional de alguns medicamentos. O vereador apenas está querendo criar o fato político. Se você observar, não se viu essa reclamação por parte de populares, até porque são sempre muito bem atendidos e sabem da preocupação da gestão para que não falte medicamentos. Inclusive, todos os os medicamentos que são da farmácia básica e tem disponibilidade, são comprados de imediato, buscamos não deixar faltar, uma vez ou outra tem um pequeno atraso por parte dos fornecedores, porém isso não é uma constante”, comentou Ulisses Neto.

Patosonline.com

Com Assessorias


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo