Politica

Vereador diz que pacote de maldades de João Azevedo revolta paraibanos e por isso acionou o MP de Patos

"O presidente Bolsonaro está fazendo mais do que sua parte", disse ele

ÓTICAS GUIMARÃES

“Como se não bastassem as inúmeras arbitrariedades praticadas ao longo do seu desastroso governo, onde houve, até, o aumento do valor cobrado do ICMS e a suspeita de desvio da verba destinada ao combate da covid-19, enviada pelo Ministério da Saúde, o governador João Azevedo agora quer cobrar valores exorbitantes da energia gerada pelo sol, o que vem causando total indignação por parte da população paraibana”. Palavras do vereador Josmá Oliveira, adiantando:

“Por conta desse fato, digno do anedotário brasileiro, o deputado estadual Walber Virgolino apresentou projeto de lei na Assembleia Legislativa do Estado isentando os consumidores paraibanos da cobrança da energia gerada pela luz solar e que vem beneficiando milhares de famílias em todos os municípios” . Depois adiantou:
“E sobre tão delicado assunto, que circula em todas as redes sociais, estou ingressando com uma medida capaz de impedir tão covarde e abusivo projeto, enquanto apresento nota de apoio ao deputado Virgolino e de repúdio ao poder executivo estadual, na pessoa de João Azevedo, fazendo ver que esse é um ato desumano, perverso, somente digno de um discípulo de Ricardo Coutinho, outro que pautava pela prática do mal. Ele, o governador atual, responsável por querer uma medida tão cruel contra o povo sofrido da Paraíba, não importando o bolso dos menos favorecidos, pessoas de baixa renda e que se veem num momento difícil, tanto pelo enfrentamento da pandemia, como pela falta de incentivos maiores por parte de quem deveria estender as mãos. O presidente Bolsonaro está fazendo mais do que sua parte, entretanto, aqui, o que vemos, estarrecidos, são medidas abusivas praticadas por um gestor comprometido unicamente com suas bases políticas, esquecendo-se de cumprir o seu papel perante todos que fazem este Estado!”, concluiu.

Assessoria


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo