Vereador acusa ex-prefeito de Patos de tentar pagar propina para impedir denúncia de irregularidade



A denúncia da tentativa de pagamento indevido foi feita pelo vereador Ederlan de Oliveira Santos.

A renúncia de Sales Júnior ao cargo de prefeito interino de Patos, no Sertão, pode ter uma explicação, que não seja apenas o rombo encontrado nos cofres da prefeitura. É que ele está sendo investigado por improbidade administrativa pelo Ministério Público Estadual (MPPB). Sales renunciou na terça-feira (20).

Segundo a investigação, ele teria tentando pagar propina a à esposa de um vereador da cidade para impedir que ele denunciasse irregularidades na gestão.

A denúncia da tentativa de pagamento indevido foi feita pelo vereador Ederlan de Oliveira Santos, conhecido por Góia. O parlamentar denunciou, inicialmente, que Sales Júnior teria vendido paralelepípedos da parte externa de um ginásio da cidade de forma irregular.

Isso teria, conforme a investigação, motivado Sales Júnior a tentar pagar propina à mulher de Góia para que ela o convencesse a esquecer o assunto.

A portaria informando sobre a investigação contra o gestão prefeito interino  foi publicada na edição dessa quinta-feira (22) do Diário eletrônico do MPPB e assinada pela promotora Lívia Vilanova Cabral. 

Portalpatos

Fonte: ClickPB