• Dra Milena
Locais

Venezuelanos enfrentam dificuldades na cidade de Patos e clamam por ajuda. Veja vídeo

A Venezuela, governada por Maduro desde 2013, vive um desastre social e econômico que, segundo a ONU, resultou no êxodo de 5,6 milhões de pessoas do país nos últimos anos

ÓTICAS GUIMARÃES

Já se tornou comum a cena de pessoas com nacionalidade venezuelana em busca de apoio nos semáforos do centro da cidade de Patos.

São pessoas jovens, idosos e até crianças, que diariamente são vistos em situação de vulnerabilidade social, tentando conseguir um trocado para sobreviver e comprar alimentos.

No vídeo dessa reportagem, o jornalista Marcos Oliveira do portal Patosonline.com foi até o centro e conversou com a senhora venezuelana que estava acompanhada de seu filho pequeno.

A mulher se apresentou como sendo Selena Pérez, mas não informou sua idade e nem o local onde está vivendo juntamente com outras pessoas de sua mesma naturalidade. Ela apenas disse que no seu país de origem existe muito desemprego e fome.

Em determinado momento da conversa, a comunicação ficou um pouco difícil, tendo em vista que ela não entende português. Mas ela ainda deixou evidente que está passando dificuldades e que seu filho pequeno não tem sequer fraldas para usar.

Venezuela hoje – Brasil de refugiados

A Venezuela, governada por Maduro desde 2013, vive um desastre social e econômico que, segundo a ONU, resultou no êxodo de 5,6 milhões de pessoas do país nos últimos anos.

O Brasil tem o maior número de venezuelanos reconhecidos como refugiados na América Latina. Dentre as pessoas reconhecidas como refugiadas no Brasil, quase 80% são venezuelanas.

Em alguns estados do Brasil já existem abrigos para acolher a população refugiada e migrante venezuelana. Esses espaços são administrados por organizações parceiras.

Mas na cidade de Patos a realidade é outra. E apesar de ainda não contar com uma população massiva de venezuelanos, esses que já são vistos pela cidade estão a mercê de qualquer ajuda, contando apenas com a sorte e a solidariedade de quem ainda se dispõe a enxergá-los e ajudá-los.

Matéria por Patosonline.com


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo