• Dra Milena
Locais

VENEZUELANOS EM PATOS – Voluntários perguntam: Por que a ajuda não chega?

Eles saíram de seu país por conta da insegurança, escassez de comida, de serviços de saúde e medicamentos

ÓTICAS GUIMARÃES

A redação do Patosonline.com recebeu um texto na noite desta segunda-feira, 07 de junho, encaminhado por membros da Igreja Congregacional de Patos, relatando um pouco da história dos venezuelanos em nossa cidade. Eles relatam um pouco da história deles e dizem do trabalho de ajuda que estão realizando.

Veja o texto abaixo:  

Eles saíram de seu país por conta da insegurança, escassez de comida, de serviços de saúde e medicamentos. Algumas chegaram até mesmo a perder suas casas. É uma crise sem precedentes!

A Igreja Congregacional de Patos tem tentado aliviar o sofrimento de algumas famílias desde o mês de maio, oferecendo alimentação, higiene pessoal, roupas e um pouco de carinho. Mas sozinhos não conseguem dar conta de tantas necessidades.

Eles dormem em um quartinho no chão, não possuem nada. Precisam urgente de moradia, uma geladeira, um bujão e um fogão. Eles pedem miçangas para trabalhar e arranjar o sustento. Precisam de cadastro na educação e na saúde para conseguir tratamento e auxílios do governo.

Eles são pessoas como eu e você. Mas tiveram que abandonar seu lar e sua história para sobreviver. E agora enfrentam o medo, a fome, racismo, discriminação e xenofobia.

A Igreja Congregacional de Patos está trabalhando intensamente para garantir um pouco de dignidade e acesso aos serviços básicos. Precisamos de você para alcançar cada vez mais pessoas. Por favor, compartilhe esse apelo, para que mais pessoas sejam alcançadas.

Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;

Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me…

Mateus 25:35,36

OUTRAS AJUDAS 

Nossa redação também recebeu há alguns dias uma ligação de um cidadão que afirmou que a Ação Diocesana da Igreja Católica de Patos também desenvolve um trabalho de ajuda aos venezuelanos em nossa cidade. 

Deixamos também o espaço aberto aqui no Patosonline.com para que o referido movimento também possa narrar, caso assim deseje, seu trabalho também em prol dos referidos refugiados.

Patosonline.com  


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo