Gerais

Urologista Dr. Eliseu de Melo fala sobre importância de diagnóstico precoce em doenças do Novembro Azul

ÓTICAS GUIMARÃES

Durante uma participação em evento alusivo à Campanha Novembro Azul, em Santa Terezinha-PB, na noite dessa segunda-feira, dia 30, o urologista Dr. Eliseu de Melo Neto falou sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce para aumentar as chances de cura de cânceres em homens.

Além disso, Dr. Eliseu também falou sobre a importância da campanha Novembro Azul e dos resultados para a conscientização dos homens sobre a necessidade de se cuidar melhor. Segundo ele, os homens estão mais atentos com a própria saúde.

“Na realidade, cada vez mais se conscientiza que é preciso se cuidar. O Novembro Azul é o momento onde a gente leva informação, tanto nas palestras como através dos meios de comunicação, mostrando que os homens têm que se cuidar porque senão eles vão morrer mais cedo. Por vários motivos, os homens vivem menos que as mulheres, e um dos motivos é a falta de cuidado com a própria saúde. Muitas vezes o homem tem tempo para tudo, menos para se cuidar, e aí quando ele procura o serviço de saúde já é de forma avançada, e já para ir a óbito, e isso é lamentável que acontece”, declarou o especialista.

Segundo Dr. Eliseu, quanto mais cedo o homem procurar ajuda, mais chances ele terá de evitar a morte. Mas se deixar para ir ao médico quando a doença estiver em estado avançado, tem apenas 5% de chance de sobreviver.

“É muito importante ter um diagnóstico precoce. No Novembro Azul nós não temos como prevenir o câncer, tem como ter um diagnóstico mais cedo, e mais cedo a gente cuidando, maior é a chance de cura. Quanto mais cedo se dá o diagnóstico de um tumor, mais ele se aproxima de 100% de cura. O câncer de próstata tem um nível muito elevado, é de multiplicação muito lenta, se ele se cuidasse, fizesse os exames anuais teria um diagnóstico precoce e facilmente será curado. Mas se deixar para procurar o urologista quando estiver sentindo os sintomas, jato fraco, gotejamento, o dado é de 95% de chances de não ter a cura”, explicou Dr. Eliseu.

Patosonline.com


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo