Gerais

Última avaliação do projeto de Reestruturação dos Hospitais Públicos mostra que Complexo de Patos avançou no atendimento à população

ÓTICAS GUIMARÃES

“É um prazer enorme constatar que após 18 meses de trabalho junto ao Hospital de Patos, a unidade aceitou os desafios de implantar qualidade e segurança ao paciente, em processos relacionados a gestão e assistência. Foi, de fato, um desafio muito grande, mas hoje a gente chega aqui, na última avaliação, e podemos observar a elaboração de protocolos, a implantação com êxito de processos que só beneficiam o paciente e que vão melhorar o cuidado ao paciente e isso só foi possível por causa do engajamento de todos os profissionais, pelo apoio da direção do hospital, que sempre se fez presente em todas as visitas, acompanhando o passo a passo e apoiando. Hoje, a gente encerra esse ciclo com a sensação de  dever cumprido já que conseguimos implantar processos importantes de qualidade e segurança do paciente e que isso é possível também no SUS e quem ganha com isso é a população que utiliza os serviços”, afirmou nesta sexta-feira (2), a Farmacêutica Tatiana da Silva Francelino, que coordenou a implantação do Projeto ‘Reestruturação de Hospitais Públicos (RHP)’, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, no Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC). O projeto faz parte do PROADI-SUS.

Para o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, este dia ficará na história da unidade como um passo importante na assistência ao paciente. “Encerramos com muita alegria esse projeto que a gente abraçou, graças  a uma parceria com o Ministério da Saúde e o Hospital Oswaldo Cruz. Esse projeto, pioneiro em nossa unidade, possibilitou grandes e significativas mudanças  na UTI, Bloco Cirúrgico e setores de internação, trazendo para esses ambientes novas ferramentas de trabalho que melhoram nosso fluxo e indicadores, possibilitando que nós possamos prestar um serviço ainda mais qualificado de atenção à saúde de nossos pacientes, desde a sua entrada no hospital até a alta médica”, destaca Francisco Guedes, agradecendo a todos os profissionais que integraram o projeto.

Ainda segundo o diretor, o projeto que foi implantado além de aperfeiçoar procedimentos, traçou indicadores que permitem medir a qualidade de atendimento prestada à população. “Estamos muito felizes de constatar que chegamos nesta etapa conclusiva com medições de indicadores que demonstram o quanto avançamos na atenção qualificada de atenção à saúde de nossos pacientes, tendo avaliações finais positivas, satisfatórias e acima da média, atestando o compromisso, competência de toda a equipe do Janduhy desde o auxiliar de limpeza até o médico”, reitera Francisco Guedes, lembrando que além deste Projeto, a unidade também desenvolve outras ações com grandes instituições, a exemplo do HCOR e USP, com o projeto da Tele UTI e o Sírio Libanês, com o projeto ‘Saúde em nossas mãos’.

Francisco destaca ainda que com a implantação da  ‘Ferramenta de Avaliação Hospitalar’ (FAHOSP) se criou uma rotina na unidade de auditorias internas e ainda nos equipamentos para saber se tudo está funcionando como tem que funcionar, seguindo a risca a legislação, normas e procedimentos padrões de cada setor. “Com essa ferramenta a gente uniformizou padrões de atuação nos serviços para que todos os profissionais daquele determinado setor tenham condições de desenvolver as ações dentro de uma mesma rotina de trabalho, identificando com mais propriedade situações de melhorias e otimização de serviço, seja nas relações de trabalho, revisão de equipamentos, processos de trabalho e normas”, finaliza o diretor.

Assessoria


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo