Tratamento de canal adia análise de registro de Dinaldo



A análise do pedido de impugnação de candidatura de Dinaldo Wanderley (PSDB) a prefeito de Patos foi adiada para este sábado, 5. A matéria constava na pauta de hoje do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba mas acabou sendo adiada a pedido do advogado Johnson Abrantes, que representa Dinaldo. Abrantes conseguiu um acordo com os advogados do adversário, Nabor Wanderley (PMDB) e alegou que precisaria se ausentar da Côrte para submeter-se a um tratamento de canal.


A ação que pede a impugnação do registro de candidatura de Dinaldo Wanderley foi movida pelo Ministério Público Eleitoral e pela Coligação "Patos segue em Frente" e tem como queixa o fato de o ex-prefeito de Patos ser acusado de irregularidades no uso de verbas públicas. Ele teria, por exemplo, deixado de realizar 107 licitações durante sua gestão.


O recurso diz respeito a um convênio federal realizado com o Ministério do Turismo, na ordem de R$ 800 mil, para aplicação no município na época em que ele foi prefeito da cidade (1996 a 2000). Houve o pedido de impugnação do registro de sua candidatura, por, em tese, ter acontecido irregularidades no convênio.

O processo estava na pauta desta sexta-feira, 5, mas o advogado do candidato pediu para que fosse adiado, o que foi acatado pelo TRE-PB.



O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) vai julgar, na manhã deste sábado, 6, em sessão ordinária, um recurso que envolve o atual prefeito de Bayeux e candidato a reeleição, Jota Júnior. Ele é acusado de abuso de poder.

Conforme os autos, o prefeito teria usado a máquina administrativa para captar votos na campanha de seu irmão, Carlos Souza, a deputado estadual, no ano de 2006.

Carlos Souza, inclusive, pode assumir uma cadeira na Assembléia Legislativa, na condição de suplente, no lugar de Antônio Mineral.