Locais

“Tô chocado, mas com Deus no coração”. Áudio vazado de dentro do presídio pode ser do acusado de matar ex-esposa a facadas, em Patos

Cláudia Gomes foi assassinada brutalmente com várias facadas no dia 13 de abril de 2.021

ÓTICAS GUIMARÃES

Evani Lucena, que está preso no Presídio Procurador Romero Nóbrega, em Patos, como acusado de matar a facadas Cláudia Gomes de Medeiros, 29 anos, sua ex-esposa, pode ser o mesmo que enviou um áudio através de WhatsApp para relatar o fato do crime que chocou a sociedade e o sertão paraibano.

Cláudia Gomes – vítima

Cláudia Gomes foi assassinada brutalmente com várias facadas no dia 13 de abril de 2.021 quando estava na casa dos seus pais, no Distrito de Santa Gertrudes, em Patos. Evani pode ter cometido o feminicídio por não aceitar o fim do relacionamento com Cláudia, com quem tem duas filhas pequenas, uma delas especial com autismo.

Evani estava foragido desde o crime e se apresentou com a sua advogada no dia 25 de abril na Delegacia de Polícia Civil, em Patos. Após os procedimentos, ele foi transferido para o Presídio Procurador Romero Nóbrega, também em Patos. Evani deveria estar incomunicável, mas a mensagem pode revelar que ele está tendo acesso a telefone celular com internet, pois a mensagem revela tal fato que está sendo investigado.

Em trecho da mensagem em áudio o interlocutor diz: “…eu fiquei até sabendo também que mãe e pai e os três irmãos dela dizia, quando eu estava foragido, falou até assim: ‘que perdoaria a mim que eu voltasse para cuidar das minhas filhas, que tem uma que é especial’, entendeu? Eu tô muito chocado, mas tô com Deus no coração e vou enfrentar essa batalha, né. Como qualquer um aqui dentro tá enfrentando. Eu sei que os primeiros dias é muito difícil e até cair minha ficha, mas de pouco a pouco eu tô sabendo que vou pra júri popular e vou entregar nas mãos de Deus…”         

A reportagem enviou o áudio ao Policial Penal Charles Martins, que é o diretor do Presídio Procurador Romero Nóbrega. Charles disse que tomará as providências imediatamente e que abrirá procedimento para apurar todos os fatos. “As sanções disciplinares foram adotadas tão logo tomamos conhecimento do fato. Peço também que casos como este possam ser levados diretamente através dos números 83 8815 5815 e 83 2147 1882”, relatou Charles.

Jozivan Antero – Patosonline.com

OUÇA o áudio:

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo