Termina sem acordo ação judicial de Nabor Wanderley contra Rômulo Xavier, em Patos



Aconteceu na última quarta-feira, dia 04, no Fórum Miguel Sátiro, em Patos, a audiência preliminar da ação criminal movida pelo Deputado Estadual Nabor Wanderley (PRB) contra Rômulo Xavier. A juíza Dra. Joscileide Ferreira de Lira conduziu a audiência que teve a presença do Dr. Leonardo Cunha Lima de Oliveira como represente do Ministério Público Estadual (MPE).

Nabor Wanderley entrou com a ação judicial diante de áudio espalhado por Rômulo Xavier que citava o deputado Nabor e o Deputado Federal Hugo Mota como beneficiados com o esquema descoberto pela Operação Calvário. Rômulo também disse que uma matéria do programa televisivo Fantástico, da Rede Globo, exibiria uma matéria sobre o fato.

O advogado Maikon Minervino, representando Rômulo Xavier, relatou que tomou conhecimento da ação no dia a audiência e que vai defender seu cliente por entender que ele deu as declarações baseadas nas declarações dadas durante a deleção de Livânia Farias, que revelou os esquemas que desviaram milhões do dinheiro público no Estado da Paraíba.

No mesmo áudio, Rômulo Xavier também envolve o vereador Sales Júnior (PRB) dizendo que o parlamentar comprou um apartamento por Oitocentos Mil Reais em Intermares, em João Pessoa. Sales Júnior também disse que vai processar Rômulo pela calúnia.    

Dr. Leonardo Cunha Lima ofertou a possibilidade de transação penal no valor de um salário mínimo para ser pago por Rômulo Xavier ou mesmo prestação de serviço, porém, não foi aceito. Rômulo disse que prefere provar sua inocência e alegou que estão querendo tirar o seu direito de cidadão que denuncia casos como o relatado.

Como não existiu acordo, o processo irá seguir no Fórum Miguel Sátiro. A reportagem buscou contato com o advogado Corsino Peixoto, que representa o Deputado Estadual Nabor Wanderley, no entanto, o advogado não quis se pronunciar.


Jozivan Antero – Patosonline.com





Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Patosonline.com não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.