Sobre para 24 o número de denúncias de suspeitas de desvio de vacinas contra Covid-19 na Paraíba



Desde o inicio da vacinação contra a Covid-19 na Paraíba, surgiram diversas denúncias dando conta de que pessoas estariam furando a fila no Estado, e sendo imunizada na frente dos grupos prioritários dessa primeira etapa da campanha.

O Ministério Público Federal (MPF) já recebeu 24 denúncias sobre desvios de vacinas de Covid-19, numa prática que segundo a instituição se configura em crime.

De acordo com o balanço, João Pessoa lidera o número de denúncias, com dez e Piancó tem duas.

Também estão na lista dos municípios onde pode ter havido irregularidades, com uma denúncia cada, Sobrado, Juarez Távora, Picuí, Boqueirão, Guarabira, Belém, Bananeiras, Juru, Teixeira, Sousa, Catingueira e Riacho dos Cavalos.

De acordo com o MPF, furar a fila da vacina pode ocasionar em crime de improbidade administrativa contra o agente público responsável pela distribuição das doses. A punição pode ser criminal e administrativa.
O MPF na Paraíba informa que qualquer pessoa pode denunciar desvios de vacina. Para tanto, é só baixar o aplicativo “MPF Serviços” e enviar as informações e provas disponíveis. Isso pode ser feito também pelo portal do MPF ou pelo telefone (83) 9.9108-0933 (atendimento das 8h às 15h).

Esta semana a ex-secretária Municipal de Saúde de Campina Grande, a médica Tatiana Medeiros, formalizou, Ministério Público da Paraíba (MPPB), denúncia de fura-filas na vacinação. Na semana passada, a médica denunciou o caso em suas redes sociais e também denunciou, por meio dos canais do Ministério Público, os casos que ganharam repercussão em toda a Paraíba.

Essa semana o governador João Azevedo (Cidadania) repudiou a postura das pessoas que estariam furando a fila da vacinação no Estado, tomando a vez do grupo prioritário estabelecido pelo Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19.
No entendimento do governador “furar a fila” da vacina é assumir a responsabilidade de deixar outras pessoas que estão mais vulneráveis ao vírus em situação de risco.

PB Agora