Sindicalista confirma greve e diz que as 40 horas semanais não estão rendendo para o município



Após ter se reunido com secretários municipais e comissão dirigente do Sinfemp, o vice presidente da entidade sindical, José Gonçalves, concedeu entrevista à imprensa local e na oportunidade fez uma avaliação do momento.

O sindicalista disse que a pauta de reivindicações dos servidores possui questões imediatas e outras que podem ser resolvidas posteriormente. Portanto, confirmou que a discussão focou no retorno das 30 horas semanais – com 6 horas corridas, já que o sindicato entende que as repartições públicas não estão rendendo bem na parte da tarde, após o decreto do prefeito interino Ivanes Lacerda, que implantou as 8 horas diárias, sendo 4 pela manhã e 4 pela tarde.

“Há mais de vinte anos que os servidores e servidoras de Patos, e a própria prefeitura, fecham a partir das 14 horas. Então nós fizemos, inclusive, essa intervenção na reunião com os secretários, e colocamos que o prejuízo maior é da gestão municipal é fechar a prefeitura de meio dia, ou seja, no horário onde as pessoas podem resolver alguma coisa. E também tem a questão do aumento de despesas, pois o consumo de água é maior, de energia, e assim sucessivamente”, disse.

E enfatizou dizendo que a melhoria do serviço público prestado à população não passa pelo aumento da carga horária, mas pela oferta de boas condições de trabalho para os servidores.

Gonçalves também confirmou que a greve dos servidores de Patos terá início amanhã, dia 6, mas admitiu que dependendo da proposta do prefeito interino, Ivanes Lacerda, na reunião desta sexta, às 11 horas, a greve pode ser encerrada, já que em seguida o sindicato reunirá os servidores para apresentar a proposta da gestão.

Ouça mais detalhes na entrevista que segue abaixo.

Matéria por Patosonline.com