Politica

Sessão da Câmara de Catingueira termina em pancadaria

A volta dos trabalhos da Câmara Municipal de Catingueira foi marcada por muita confusão, denúncias, vaias, quebra-quebra e gente até puxando faca. Foi um verdadeiro pandemônio que precisou da interferência do Choque do III Batalhão.


Tudo decorreu a partir das denúncias da Controladoria Geral da União, que identificou 108 irregularidades na administração do atual prefeito, Edivan Félix, dias atrás.


As graves denúncias levaram a oposição a torná-las públicas na Câmara Municipal, com o desejo de criação de uma CPI, cuja finalidade é a cassação de Edivan. O PTB ficou a cargo de apresentar as irregularidades e o fez.


O presidente da Câmara, Casa Severino Tibúrcio, Emídio Chagas, não colocou a matéria de acusação para que fosse apreciada pelos parlamentares mirins e cedeu a palavra a Edvan Félix.


Dentro e fora da Câmara havia cerca de 300 pessoas. Foi solicitado apoio da PM para evitar algum tumulto.


O quebra-quebra de cadeiras, bebedouros e outros equipamentos teve início logo após o discurso de Edvan. Durante a confusão um senhor puxou da cintura uma faca-peixeira, porém a polícia agiu rápido e desarmou o senhor, Antônio Ancelmo.


Ainda durante a sessão aconteceu caloroso bata-boca entre os advogados da Câmara e os dois contratados pelo PTB, partido de oposição que já deu entrada com pedido de afastamento do cargo do prefeito de Catingueira junto ao Ministério Público.


Texto original/Marcos Eugênio


Adaptação/Marcos Oliveira

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
close