Servidores de Vista Serra denuncia perseguição. Vice-prefeito nega



Parte dos funcionários de Vista Serrana denunciaram que o prefeito do município, Jurandy Araújo da Silva (PMDB), proibiu parte dos funcionários efetivos da prefeitura de entrarem em suas repartições para cumprir o expediente de trabalho.


 


Durante a última segunda-feira, dia 12 de janeiro, eles se reuniram na praça central da cidade onde realizam uma manifestação contra a decisão do prefeito.


O argumento para as demissões é de que esses funcionários, embora sejam concursados, teriam sido contratos depois do dia cinco de Junho, noventa dias antes das eleições, fora do prazo eleitoral para contratação.


 


Os funcionários rebatem esse argumento do prefeito dizendo que outros funcionários contratos há mais de dez anos também estariam sendo impedidos de trabalharem.


Eles também argumentam que outros funcionários que foram contratados na mesma época, ou seja, no mês de junho, estariam trabalhando normalmente, por que teriam votado no prefeito Jurandy.


 


Segundo Ana Cristina de Araújo Silva, prima do prefeito Jurandy, o secretário Dário demitiu esses funcionários apenas “de boca” sem apresentar nenhuma portaria assinada pelo prefeito oficializando as demissões e explicando os motivos.



 


Ela disse que os funcionários procuraram o prefeito Jurandy, mas ele não está na cidade e que ainda não começou a despachar, mesmo tendo tomado posse no dia primeiro de Janeiro.


 


Ana espera que o prefeito resolva o quanto antes a situação desses funcionários que continuam acampados na praça aguardando uma decisão.


 


O funcionário Camilo Gomes de Lima, com vinte e dois anos de serviços prestados à prefeitura, também está de braços cruzados. O posto telefônico da cidade onde ele trabalhava foi fechado pela atual administração.


 


Os vereadores de oposição estão apoiando a mobilização dos funcionários impedidos de trabalhar. Um deles, Sebastião Nicodemos, disse que o prefeito Jurandy está expondo esses funcionários a um grande constrangimento e espera que ele reveja essa decisão recolocando-os em suas funções.


 


Como o prefeito Jurandy não estava na cidade, nós conversamos com o vice Romeu Pablo. De acordo com Romeu, a decisão de demitir esses funcionários foi tomada com a orientação do Tribunal de Constas do Estado.


 


Com relação a informação dos funcionários de que o prefeito não estaria dando expediente, Romeu explicou que a cidade não tem prefeitura. De acordo com informações dele, o ex-prefeito Monaci Marques despachava em uma casa alugada pela administração.


 


De acordo com Romeu, por enquanto o atual prefeito vai despachar no antigo prédio da Secretaria de Saúde.


 


Célio Martinez