Policial

Servidor teria deixado de tomar vacina em S.J de Espinharas por questões políticas, diz membro da oposição. Prefeitura rebate. Veja

A prefeitura de São José de Espinharas rebateu as denúncias feitas pelo President do Cidadania através de nota

Em denúncia feita na imprensa sertaneja, o presidente do Cidadania de São José de Espinharas-PB, Rafael Nunes, denunciou que o servidor Público de São José de Espinharas Joaquim Nunes de Medeiros testou positivo para a COVID-19, após ser impedido de tomar a 1ª dose da vacina contra a doença.

Segundo o denunciante, Joaquim não pôde tomar a vacina porque a secretaria de saúde alegou que ele não mora no município, embora ele trabalhe lá como condutor de veículo escolar diariamente.

Joaquim foi levado para a UPA de Patos na última segunda-feira (14), e na quinta-feira (17) foi intubado e transferido para Campina Grande, onde está em tratamento contra a COVID-19. Rafael afirmou que Joaquim sofre perseguição política todos os dias, por não concordar com algumas atitudes da prefeitura.

“Venho aqui hoje tratar de um assunto que é lamentável: a politização da vacinação em São José de Espinharas. Um funcionário público da educação, Joaquim Nunes, está em seu direito de tomar a 1ª dose da vacina. O município estava vacinando quem tem acima de 18 anos para quem tem comorbidades, e ele tem pressão alta, tem diabetes, mas mesmo assim a agente de saúde transmitiu uma mensagem da secretaria de saúde que teria dito a ela que Joaquim só poderia se vacinar como funcionário da educação, porque o cadastro dele não poderia ser feito porque ele não mora mais no município. Se fosse assim, o prefeito Netto Gomes não poderia tomar vacina no município, porque ele também mora em Patos”, argumentou Rafael Nunes.

Ainda de acordo com o presidente, Joaquim tinha o direito de ser vacinado, pois trabalha em função da educação do município, se expõe ao risco e no calendário estavam sendo vacinadas pessoas com comorbidades.

“Ele foi privado do seu direito de tomar a 1ª dose da vacina, de forma perseguidora, porque ele já é perseguido na sua profissão, por não concordar com muitas coisas que acontecem na atual administração. Infelizmente, Joaquim foi contaminado, deu entranha na UPA de Patos e na quinta foi intubado e transferido para Campina Grande. Se Deus quiser, ele estará de volta junto a sua família e amigos. Mas faço um registro que todos os responsáveis serão representados, temos áudios, prints de conversas, tudo será passado para o advogado, e vamos entrar com representação na Justiça contra todos os envolvidos”, assegurou Rafael Nunes.

Em entrevista a equipe da Rádio Espinharas de Patos nesta segunda-feira, 21 de junho, Rafael endossou a denúncia.

Ouça:

Rafael Nunes – áudio Higo de Figueiredo Rádio Espinharas FM, 97,9

A prefeitura de São José de Espinharas rebateu as denúncias feitas pelo President do Cidadania através de nota.

NOTA DE ESCLARECIMENTO AO POVO DE SÃO JOSÉ DE ESPINHARAS

A Prefeitura Municipal de São José de Espinharas, vem a público esclarecer os fatos, denunciados maldosamente, acerca do servidor público Joaquim Nunes de Medeiros.

Inicialmente, importante salientar que o momento vivido pelo servidor, que se encontra internado com COVID-19 é de respeito e busca de orações para que ocorra sua cura.

O Município de São José de Espinharas vem cumprindo rigorosamente ao que estabelece o Plano Nacional de Imunização, e realizando a Imunização conforme determina este regramento.

Não é verdade a informação que o município tolheu o servidor público de tomar sua vacina anti covid-19.

Cabe esclarecer que o servidor ESTÁ AFASTADO DE SUAS FUNÇÕES DESDE MARÇO DE 2020, já que o mesmo é motorista da educação.

Importante destacar que o servidor reside atualmente no Município de Patos, e neste período em que foi acometido pelo Covid-19, apenas manteve contato por meio de whatsapp com a equipe da educação e com outros profissionais.

No último dia 12/06 foi estabelecido a data para que os motoristas da educação fossem vacinados com a primeira dose, pois as doses chegaram no dia anterior ao Município, mas o mesmo infelizmente não compareceu, pois se encontrava já acometido com o COVID-19.

Reitera-se que o servidor foi prontamente orientado (sempre à distância, pois se encontrava em Patos), de como deveria proceder, sendo relatado, inclusive, que poderia ser vacinado na cidade de Patos, caso estivesse de posse do laudo médico que comprovasse a comorbidade, ou esperar a imunização dos profissionais da Educação do município, que fora iniciada em 05/06/2021, para os profissionais da Creche e Pré Escola, e 12/06 para os motoristas, inclusive para o servidor Joaquim Nunes.

Dessa forma, reiteramos que todos os protocolos do Programa Nacional de Imunização – PNI foram obedecidos, de modo que a denúncia é mentirosa, de cunho eleitoreiro, que visa apenas uma autopromoção daquele que, desde novembro de 2020, não desceu do palanque e tenta criar factóides em detrimento da saúde de um servidor do nosso município.

Quaisquer esclarecimentos acerca dos fatos será explanado, reiterando, desde já, votos de uma plena recuperação para Joaquim Nunes de Medeiros.

Assessoria

Patosonline.com

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo