Esportes

Secretário diz que acordo de leniência tem que ser assinado até o final do ano. Presidentes dos clubes de Patos se posicionam

O secretário de estado da fazendo, Marialvo Laureano, participou do jornal Notícias da Manhã desta terça-feira, 22, na Rádio Espinharas FM de Patos, e falou sobre a polêmica envolvendo o documento dos clubes profissionais da Paraíba, sobre o cancelamento do Campeonato Paraibano 2021.

Marialvo confirmou que o Governo da Paraíba articulou uma reunião na tarde desta segunda-feira, 21, onde com as presenças de vários secretários de estado, que definiu a necessidade do acordo de leniência com o governo da Paraíba, referentes as pendências financeiras existentes em relação a execução do programa Gol de Placa.

“Com relação ao repasse dos recursos para os times, ficou fechado que os times que não tem pendência tem direito a receber os recursos do programa. Os outros times terão que assinar o acordo de leniência”, disse o secretário.

Marialvo disse que apenas Perilima e Sport de Lagoa Seca, não tem nenhuma pendência financeira com o governo, enquanto os demais terão até o dia 31 de dezembro, para resolverem as questões burocráticas com o estado e e receberem os recursos referentes ao ano de 2020. Ouça;

A POSIÇÃO DE NACIONAL E ESPORTE

O presidente do Nacional Cleodon Bezerra, também participou do programa e disse que o acordo de leniência é um processo lento a ser resolvido e que não haverá tempo hábil para solucionar e realizar o campeonato em 2021.

Já o presidente do Esporte de Patos, Davi Leitão, informou que a liberação de recursos referentes ao ano de 2020, não envolve o Esporte. O dirigente do terror do sertão disse que desde maio de 2019 os clubes buscam uma solução pacífica com o governo da Paraíba, o que deve levar as agremiações a pleitearem pela via judicial. Ouça;


Por Genival Junior – Patosonline.com

Áudios de Misael Nóbrega – Rádio Espinharas FM 97,9

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo