Sargento que assassinou major dentro de quartel da PM será interrogado na Auditoria Militar



O primeiro sargento da Polícia Militar Valdiran Ferreira da Silva, de 38 anos, acusado de ter assassinado o major Aldair de Souza Albuquerque, de 41 anos no interior do quartel do 6º Batalhão da PM, em Cajazeiras, será interrogado na manhã desta sexta-feira, 26, pelo juiz Ricardo Vital, da Auditoria Militar da Paraíba. A audiência está com início marcado para as 10h no 5º andar do Fórum Criminal da Capital.

A audiência será acompanhada pelo promotor de Justiça Fernando Antônio Pereira de Andrade e pela advogada do sargento, Joilma de Oliveira Pereira Araújo dos Santos. Valdiran está preso no 2º Batalhão da Polícia Militar, em Campina Grande.

O assassinato do major Albuquerque aconteceu na tarde do dia 11 desse mês no interior do alojamento destinado ao comandante e sub-comandante do 6º Batalhão da PM, com sede em Cajazeiras. Albuquerque dormia sozinho no alojamento.

De acordo com as informações, o sargento Valdiran teria chegado ao quartel do 6º BPM, com sintomas de embriagues, armado procurando o major Albuquerque. No corpo da guarda recebeu a informação de que o sub-comandante estava dormindo. Agradeceu e entrou no quartel. Poucos minutos depois se ouviu os disparos.

Após assassinar o major o sargento Valdiran tentou fugir, foi preso em flagrante e recolhido ao xadrez daquela unidade militar.

Apesar de não querer prestar depoimento ao major Ronildo de Souza, que presidiu o auto de prisão em flagrante, tomou-se conhecimento de que o sargento Valdiran estava insatisfeito com a escala de serviço, inclusive teria discutido com o major Albuquerque, que era sub-comandante da unidade militar.

O assassinato do major Albquerque chegou a causar revolta na tropa, principalmente entre os oficiais e por conta disso na noite do crime ele foi o sargento foi transferido as pressas para o 2º BPM em Campina Grande.


Cardoso Filho