• Dra Milena
Esportes

Rincón morre na Colômbia, após três dias do acidente

ÓTICAS GUIMARÃES

Depois de lutar contra a morte por três dias, morreu no início desta madrugada (horário de Brasília) o colombiano Freddy Rincón, de 55 anos. Ex-jogador de vários clubes brasileiros como Palmeiras, Corinthians, Santos e Cruzeiro ele sofreu um grave acidente de carro na madrugada de segunda-feira.
O carro em que Rincón dirigia atravessou um sinal vermelho e foi atingido em cheio por um ônibus. O ex-jogador sofreu traumatismo craniano e acabou passando por uma cirurgia delicada. Desde o início os médicos reconheceram que o caso dele era gravíssimo.
A confirmação da morte aconteceu na clínica onde ele estava internado na cidade de Cali, na Colômbia.

O ACIDENTE !

QUEM FOI
Rincón – Freddy Eusébio Gustavo Rincón Valencia – nasceu na pequena cidade de Buenaventura, no dia 14 de agosto de 1966. Jogou no time local – Atlético Buenaventura – antes de chegar ao Deportes Lima.

Pela seleção colombiana, disputou três Copas do Mundo – 90,94 e 98 – período em que o país contou com outros grandes jogadores. Pode se considerar o período áureo dos colombianos no futebol mundial. Atuou 84 vezes e marcou 17 gols.

Mas a sua primeira experiência fora do país natal ocorreu apenas em 1994, quando aceitou defender o Palmeiras. Atuou num supertime do Verdão que era dirigido por Vanderlei Luxemburgo e tinha muitos craques: Edilson, César Sampaio, Evair e Roberto Carlos, entre outros.

NA ITÁLIAE ESPANHA
Seis meses depois foi atuar no Napoli, da Itália, onde pouco fiou e aportou no Real Madrid, da Espanha. Não se deu bem lá e voltou ao palmeiras em 1996. Em 76 jogos ele marcou 22 gols.

Mas no ano seguinte transferiu-se para o Corinthians, onde viveu sua melhor fase no Brasil. Ele foi comprado por US$ 1,3 milhão, que representa muito na época. Atuava como meia no Palmeiras, mas se consagrou como volante no Corinthians, jogando ao lado de Vampeta, e dos meias Marcelinho Carioca e Ricardinho.

No Parque São Jorge acumulou títulos importantes, como o Paulista (99), bicampeão brasileiro (88/89) e Mundial de Clubes de 2000, na primeira competição organizada pela Fifa no Rio de Janeiro. No Maracanã, Rincón ergueu a taça de campeão, após vitória sobre o Vasco nos pênaltis.

Depois passou por Santos e Cruzeiro, retornando ao Corinthians em 2004. Mas, com 37 anos, não foi bem. Ao todo ele jogou pelo timão 158 jogos e marcou 11 gols.

TENTOU SER TÉCNICO
Ainda no Brasil ele tentou iniciar a carreira de técnico, durante cinco anos, entre 2006 e 2011. Mas só teve chances em clubes pequenos como Iraty-PR, Flamengo-SP, São Bento e São José. Também trabalhou na base de Atlético-MG e Corinthians. Não vingou.


Por: Agência Futebol Interior


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo