Ricardo Coutinho condicionou pagamento de R$ 1 milhão para Governo contratar IPCEP na gestão do Hospital



A delação do empresário Daniel Gomes da Silva, controlador da Cruz Vermelha Brasileira, não para de produzir fatos relativos ao desvio milionário descoberto pela Operação Calvário no maior escândalo de corrupção na história da Paraíba.

Daniel Gomes disse em delação premiada firmada na Procuradoria Geral da República que no ano de 2014, antes de inaugurar o Hospital Geral de Mamanguape, o ex-governador Ricardo Coutinho e ele ( o empresário) teriam acertado algo em torno de R$ 1 milhão de propina como contrapartida para que o Governo do Estado contratasse o IPCEP para administrar a unidade hospitalar em Mamanguape.

O Hospital foi inaugurado dia 2 de julho de 2014, e o IPCEP foi a organização social contratada pelo Governo para administrar a unidade.

EM 2014 HOUVE PAGAMENTO DE 1 MÊS A MAIS – O Hospital de Mamanguape foi inaugurado em 2 de julho de 2014,portanto seriam seis meses ( julho, agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro/2014). Só que em vez de seis parcelas, foram pagas 7 parcelas, e em vez de R$ 1,9 milhão, um dos pagamentos foi de R$ 3,9 milhões.

O próprio Governo anunciou quando inaugurou o Hospital que a verba de custeio da unidade seria de R$ 2 milhões / mês, mas os 6 primeiros meses o IPCEP faturou R$ 16,4 milhões.

Pelo jeito a Calvário não termina no Juízo Final.

Blog do Marcelo José

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com