REVIRAVOLTA NO STJ: Presos pedem extensão da decisão de Napoleão e ministra pode negar e devolver Ricardo Coutinho à prisão



A estranhíssima liminar de soltura dada pelo ministro Napoleão Nunes Maia (Superior Tribunal de Justiça), para livrar o ex Ricardo Coutinho da prisão, acaba de desencadear um festival de pedidos de extensão da mesma decisão para outros envolvidos na organização criminosa desbaratada pela Operação Calvário e que se encontram presos, desde a semana passada.

Dentre os que pediram a extensão, com base na decisão de Napoleão, estão Coriolano (irmão de Ricardo) Coutinho, Gilberto Carneiro, José Arthur Viana Teixeira, Márcio Nogueira, Hilário Ananias e Breno Miguel. Em resumo: eles pedem que a decisão da Napoleão seja estendida para eles. Mas, tem um detalhe: os pedidos caíram para a ministra Maria Thereza de Assis Moura.

Ela tem três opções. Um: concede o pedido e libera todos eles da prisão, como feito com Ricardo Coutinho. Dois: não dá a extensão e mantém os suplicantes presos. Três: não concede o pedido e ainda revoga a decisão de Napoleão, o que pode devolver o ex-governador para a prisão nas próximas horas. O relógio está contando o tempo de sua decisão…

Pode não ser o que irá acontecer, mas a tendência é que maria Thereza, não apenas negue a extensão da soltura para os suplicantes, como ainda revogue a liminar de Napoleão. Os indícios: a ministra Laurita Vaz, relatora do processo, já negou liminar de soltura para os envolvidos no esquema criminoso. A própria Maria Thereza também negou, em decisão desse domingo (dia 22).

E olha que as ministras negaram a soltura para os envolvidos de menor escalão, imagine com o chefão da organização criminosa, conforme despacho do desembargador Ricardo Vital, delação de Daniel Gomes da Silva e parecer do Ministério Público Federal.

Blog do Helder Moura




Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Patosonline.com não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.