Reunião é realizada entre Sttrans e taxistas para discutir polêmica do taxímetro em Patos



O Superintendente da Sttrans de Patos, Elucinaldo Laurindo, se reuniu com taxistas e vereadores de oposição, e explicou quais as medidas que serão tomadas pelo órgão, com relação a ação do Ministério Público que cobra a cassação dos alvarás dos taxistas.

“Após assumir a Sttrans tomei ciência de um TAC junto com o Ministério Público Estadual, e o Sindicato dos Taxistas no qual acionou o MP para que fosse implantado taxímetro na cidade de Patos, com isso, bolamos um calendário de implantação desse equipamento, para que a população não seja prejudicada com relação a cassação aos alvarás, e os taxistas também possam cumprir com a determinação assinada em um TAC”, disse Elucinaldo.

O taxista Hélio França, representante da categoria e também da Cooperativa dos Taxistas, isentou a Sttrans das críticas no protesto, e que ele aconteceu para sensibilizar o MP.

“Vamos isentar praticamente a Sttrans, mas por uma insensibilidade e irresponsabilidade de um presidente de sindicato, que provocou o Ministério Público por uma lei que estava arquivada, para cobrar que a categoria implante o taxímetro, nós estamos nesse protesto para sensibilizar o MP, que já está em fase de execução da cassação dos nossos alvarás”, afirmou o taxista.

Ainda segundo França, não há nenhum suporte para aquisição, implantação e vistoria desse equipamento, dando até uma sugestão de criação de um taxímetro digital, semelhante ao sistema utilizado pelos aplicativos de mobilidade urbana.

“O normal seria sentar o Ministério Público com a Sttrans e representantes do Sindicato e da Cooperativa, para que seja comprado uma plataforma e criado um taxímetro digital, que fosse gerido pela Sttrans, e que não trabalhássemos com uma coisa obsoleta que daqui há alguns dias vai se acabar”, finalizou França.

Coordecom