ColunistasRodrigo Cézar Limeira

Reservatórios Cachoeira dos Cegos, Capoeira, Engenheiro Arcoverde, Capivara e Lagoa do Arroz com recargas inferiores a 30% em 2024, prevê Dr. Rodrigo Cézar

Com precipitações com grande irregularidade na distribuição espacial, as bacias de vários reservatórios como os mencionados acima poderão ter recargas não muito expressivas esse ano.

ÓTICAS GUIMARÃES

Grandes açudes do Sertão do estado da Paraíba e que não recebem águas da transposição do Rio São Francisco, poderão ter recargas inferiores a 30% em 2024, prevê o físico, meteorologista, mestre em Meteorologia e doutor em Física, Rodrigo Cézar.

Com o fenômeno El Niño configurado e ainda intenso, a perspectiva é de chuvas bem irregulares na região durante a quadra chuvosa de fevereiro a maio de 2024, pontua o estudioso.

Com precipitações com grande irregularidade na distribuição espacial, as bacias de vários reservatórios como os mencionados acima poderão ter recargas não muito expressivas esse ano, finaliza.

É muito comum que a maioria dos reservatórios de grande porte citados acima, em anos de El Niño intenso tenham aportes hídricos não muito significativos, e essa será uma tendência para o ano de 2024 conclui Rodrigo Cézar.

Dessa forma, prevê o estudioso:

O Açude Cachoeira dos Cegos, que comporta aproximadamente 71 milhões de metros cúbicos de água, em 2024 deverá ter recarga inferior a 21 milhões de metros cúbicos aproximadamente;

A Barragem de Capoeira, que comporta aproximadamente 56 milhões de metros cúbicos de água, em 2024 deverá ter recarga inferior a 17 milhões de metros cúbicos aproximadamente;

O Açude Engenheiro Arcoverde, que comporta aproximadamente 36 milhões de metros cúbicos de água, em 2024 deverá ter recarga inferior a 11 milhões de metros cúbicos aproximadamente;

A Barragem de Capivara, que comporta aproximadamente 37 milhões de metros cúbicos de água, em 2024 deverá ter recarga inferior a 11 milhões de metros cúbicos aproximadamente;

A Lagoa do Arroz, que comporta aproximadamente 80 milhões de metros cúbicos de água, em 2024 deverá ter recarga inferior a 24 milhões de metros cúbicos aproximadamente.

Portal Ciência em Foco


Mostrar mais
 
Botão Voltar ao topo