• Dra Milena
Locais

Representante do SINTEENP faz alerta a dirigentes de escolas privadas sobre pagamento de retroativo aos profissionais da educação

ÓTICAS GUIMARÃES

A coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino Privado da Paraíba-SINTEENP, Maria das Lágrimas Leite Minervino (Lalá), em contato com o jornalista Misael Nóbrega, da Rádio Espinharas FM de Patos, 97,9, fez um alerta as escolas particulares de Patos, que não estão propensos a pagar o dissídio coletivo da categoria concedido no ano de 2021.

De acordo com a sindicalista, por não haver sido aplicado reajuste nos salários em 2020 e 2021, a justiça entendeu que seria necessário a reposição correspondente ao período maio de 2020 e outubro de 2021, para os empregados das escolas privadas, doscentes e não doscentes, e que o prazo concedido pela para as escolas da rede privada pagarem o retroativo foi de 60 dias, encerrado nesta segunda-feira, 10 de janeiro.

“Sobre o retroativo, tomando por base o salário vigente em abril de 2020, aplica-se 2% e toma-se por base o salário vigente de 2021, aplica-se 7%. Isso totaliza 9,14% sobre o salário vigente em outubro de 2021. O prazo para o pagamento foi de 60 dias, e terminou nesta segunda-feira, 10 de janeiro”, explicou Lalá.

A sindicalista acrescentou que no dia 9 de novembro de 2021 a sentença normativa da Convenção Coletiva de Trabalho manteve as cláusulas, a exceção de três pontos reivindicados pela categoria, que são o reajuste salarial, o pagamento retroativo e a gratuidade de ensino para os profissionais da rede privada.

Ele encerrou dizendo que a gratuidade para os dependentes dos professores já é garantida por muitos anos e que a mesma não está relacionada a nenhuma natureza salarial para os professores, não precisando de nenhuma consulta ao INSS, para fins de comprovação de remuneração ou prejuízo financeiro para a empresa. Ouça;


Por Genival Junior – Patosonline.com

Áudio de Misael Nóbrega – Rádio Espinharas


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo