• Dra Milena
Gerais

Redeterapia é usada na recuperação de bebês prematuros na Maternidade Dr. Peregrino Filho na cidade de Patos. Confira

De acordo com pesquisas, a técnica melhora a frequência cardíaca e respiratória diminuindo o tempo de internação da criança.

ÓTICAS GUIMARÃES

A rede é conhecida no Nordeste e em outros estados do país como um acessório bastante utilizado, seja para dormir ou só descansar, como também para decoração dos ambientes, por ser um item que proporciona tranquilidade e conforto. Exatamente por esses benefícios, a rede está sendo usada como terapia para bebês prematuros na UTI Neonatal da Maternidade Dr. Peregrino Filho na cidade de Patos.

A enfermeira Maria de Fátima de Lucena, especialista em Pediatria e Neonatologia, explicou como funciona a terapia da rede que traz diversos benefícios para o bebê e que, de acordo com pesquisas, a técnica melhora a frequência cardíaca e respiratória diminuindo o tempo de internação da criança.

“A redeterapia é uma estratégia de cuidado que faz parte da rotina das unidades de internação da Maternidade Doutor Peregrino Filho UTIN e UCINCo na qual os recém nascidos com o quadro clínico estável são colocados em pequenas redes que foram produzidas pelo o serviço de rouparia da própria instituição. A redeterapia consegue deixar o bebê mais aconchegado, simulando a posição intrauterina. Os bebês até provocam um balanço suave na rede quando mexem as perninhas, ficando mais calmos e assim se reduz o estresse essa técnica contribui para a redução do tempo de internação, pesquisas demonstram que são inúmeros os benefícios como a melhora da frequência cardíaca e respiratória o tônus muscular, essa é uma das técnicas que estão associadas a outras que desenvolvemos humanizado buscando um cuidado humanizado para que ocorra o pleno desenvolvimento dos nosso pacientes”, explicou.

Ainda de acordo com a enfermeira, coordenadora de alta complexidade daquela unidade, a redeterapia é uma intervenção precoce que favorece o posicionamento adequado e mantém o conforto da criança, proporcionando ao bebê estabilidade e alinhamento postural.

“No nosso dia a dia, essa técnica de utilizar uma rede no interior da incubadora, buscando se assemelhar ao útero, nós conseguimos reduzir a irritabilidade dos bebês, alívio da dor e temos bebês mais tranquilos, conseguindo guardar suas reservas de energia e desta forma se contribui para o ganho de peso e da organização neoromotora e cognitiva. Além disso, sabemos que o Nordestino gosta de uma rede e do aconchego que ela nos dá”, afirmou, Maria de Fátima.

Veja as imagens abaixo:

Por Wânia Nóbrega – Patosonline.com


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo