ColunistasLuiz Gonzaga Lima de Morais

Quem acredita nas barbaridades ditas por Bolsonaro!

(Luiz Gonzaga Lima de Morais)

ÓTICAS GUIMARÃES

Não sei como ainda há quem acredite em tanta barbaridade dita por Bolsonaro. 

Quem acredita nas barbaridades dele ou é muito “puxa-saco” ou não tem um mínimo de senso crítico. 

Não vou relacionar aqui as centenas de barbaridades divulgadas por ele nestes dois anos e meio. Seria um nunca acabar. Vou citar só algumas delas, que trouxeram um enorme prejuízo ao país.

No início, segundo Bolsonaro, a pandemia era só uma gripezinha. A estas alturas já morreram mais de meio milhão de pessoas, desta gripezinha.

Depois que a pandemia se instalou em toda parte passou a recomendou Ivermectina e hidroxicloroquina como medicações contra o COVID 19. contrariando a opinião de cientistas de todo o mundo. Quem acreditou nele quebrou a cara. Muitos morreram por isso. 

Depois esnobou a vacina dizendo que quem a tomasse viraria jacaré. Hoje todo mundo sabe que só não morreu mais gente, justamente, porque a vacina já foi aplicada em grande parte da população. 

Teve o desplante de dizer que quem deixava de comprar armas para comprar feijão era idiota. Quem será o idiota que vai tomar o seu conselho? 

Resta-nos chorar justamente pelos mais de meio milhão de vítimas da pandemia, justamente porque o Governo não comprou a vacina em tempo, enganou os “bestas” com o kit COVID e desestimulou as medidas sanitárias recomendas por cientistas de todo o mundo para minorar os efeitos da pandemia. Bolsonaro chegou ao desplante de provocar aglomerações e participar delas sem máscara, numa clara afronta às autoridades sanitárias.

Aliás, só se enganou com Bolsonaro quem bem quis. Ou quem tinha algum interesse escuso para ser acobertado.

E para quem  votou nele enganado pelas promessas de campanha, onde está seu combate à corrupção, quando faz tudo para encobrir as maracutaias dos seus filhos? Onde está o combate à corrupção do seu governo quando estão aparecendo dezenas de denúncias de manobras feitas para conseguir propinas na compra das vacinas?

Onde está a sua política diferente, sem se acoloiar com o Centrão, quando hoje quem manda no Governo é o Centrão, enquanto ele só faz o que o Centrão quer?

Onde está o desenvolvimento econômico prometido, quando não soube enfrentar os problemas trazidos pela pandemia, que resultou em milhões de desempregados, com famílias sobrevivendo com míseros trezentos reais por mês?

E o pior de tudo. O que temos hoje é um país, onde os poderes da República são desrespeitados pelo próprio Presidente, que vive insuflando a população contra o Congresso, contra os tribunais superiores, contra os governadores.

O que é que o grupo bolsonarista tem para oferecer até agora ao país? Facilidade para o porte-de-armas, permissividade nas agressões ao meio ambiente, liberalidade no uso de terras indígenas, destruição da legislação trabalhista, relaxamento da fiscalização às agressões ao meio ambiente e aos abusos de empresários contra os seus empregados.

Temos um governo que facilita tudo para o empresário que se dedica a atividades predatórias, contra a natureza e contra os trabalhadores. Um governo que acalenta os empresários chapa branca, enquanto os empresários lúcidos e bem informados jamais acreditaram nele, e agora estão manifestando livremente a sua preocupação com os rumos que a economia do país está tomando. 

E o pior de tudo, tentam esconder sua incompetência com “fake news” ou alardeando os erros alheios na tentativa de justificar os seus. Praticam a mentira como quem muda de camisa. 

O próprio presidente afirma uma coisa pela manhã e muda de opinião à tarde. Vive pregando seus disparates para um grupelho de fanáticos que chegam ao desplante de compará-lo com Jesus e aos seus adversários com Barrabás. 

A jornalista Eliane Cantanhêde, colunista do Estadão, em comentário recente afirma textualmente:

“Diferentemente do que imaginavam o Planalto, assessores, aliados e bolsonaristas resilientes, o tempo não está contando a favor, mas contra a reeleição do presidente Jair Bolsonaro. Quanto mais 2021 avança e 2022 se aproxima, mais as condições de Bolsonaro se deterioram na política, na economia, na confiança dos cidadãos. Se ele acha que basta incendiar a internet e botar sua turma na rua, pode estar redondamente enganado.”

É uma conclusão das mais reais da situação a que chegou o Governo Bolsonaro. Tem contra si as igrejas realmente cristãs, os empresários lúcidos e praticantes das práticas de negócios honestos, os cientistas responsáveis e o povão que sofre com o desemprego, com a fome, com a desesperança de que as coisas melhoram com um governo que não está nem ai. E que, a cada crítica, responde simplesmente: E daí?

Mas ao final uma ideia. Quem tiver juízo vai aproveitar o feriadão da Independência para visitar os cemitérios onde estão os seus parentes e amigos, vítima da COVID. Para não esquecer de quem é o maior culpado por isso.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios