Psicanalista Francisco Almeida faz análise sobre problemática do suicídio na região de Patos



Os últimos acontecimentos ocorridos em Patos e região, tem assombrado muita gente. De domingo, (15), para cá, pelo menos quatro pessoas, sendo duas delas jovens com menos de 20 anos, atentaram contra sua própria vida na região, o que tem gerado bastante preocupação em todo o sertão.

Que fenômeno é esse? O que passa na cabeça das pessoas? Quais são os motivos e as preocupações, que estão ocorrendo no mundo atual, sobretudo no Brasil, que segundo estudos, está entre os dez países do mundo que mais cometem suicídio no mundo, justamente quando se realizam as ações do setembro amarelo, considerado o mês de combate ao suicídio.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), o suicídio ocorre com maior frequência entre pessoas de 45 a 54 anos, sendo as mulheres mais propensas que os homens, que por sua vez são mais propensos que as mulheres a concluir o ato.

No Brasil, a taxa entre adolescentes que vivem nas grandes cidades brasileiras aumentou 24% nos últimos anos. Entre as causas, a popularização da internet, as mudanças sociais no país e a falta de políticas públicas de combate ao suicídio, são as principais razões para esse aumento.

O Blog do Jordan Bezerra, preocupado com essa situação, procurou respostas e ouviu o doutor em filosofia, com formação em psicanálise, Francisco Almeida, que deu explicações sobre o assunto.

De acordo com o especialista, o Brasil tem andado na contramão do mundo, uma vez que em alguns países do mundo, os números estão sendo reduzidos, enquanto no Brasil, são registrados cerca de 11 mil suicídios anualmente.

“Há no mundo, em países da Europa, nos Estados Unidos, uma diminuição nos casos, como efeito de campanhas de prevenção, a programas de enfrentamento e prevenção ao suicídio, mas infelizmente os casos tem chegado a 11 mil suicídios notificados”, relatou.

Em relação aos casos do Sertão da Paraíba, o especialista alertou o fato da maioria dos casos ser registrado entre pessoas muito jovens, chamando atenção da sociedade para uma melhor estratégia de enfrentamento ao problema.

O fenômeno segundo ele, se relaciona em sua maioria, as pessoas com problemas mentais e emocionais, além de fatores momentâneos, que tem a ver com as vítimas a praticarem o ato como forma de pôr um fim ao problema.

Blog do Jordan Bezerra