Proprietários de salões de beleza fazem protesto e membros da extrema direita se infiltram na manifestação no Centro de Patos



Dezenas de proprietários de salões de beleza fizeram manifestação na manhã desta terça-feira, dia 03, em frente da sede da Prefeitura Municipal de Patos. O ato contou com carro de som, cartazes, adesivos e muitos profissionais que se queixam de prejuízos diante dos decretos que determinaram o fechamento de estabelecimentos considerados não essenciais.

A situação ficou ainda mais grave diante do veto do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) que impediu que barbeiros, manicures, pedicures, esteticistas, maquiadores e demais profissionais da beleza recebessem o auxílio emergencial de R$ 600,00. Muitos profissionais estão enfrentando muitas dificuldades para garantir o sustento dos funcionários e das famílias que dependem da renda dos clientes.

Os proprietários e trabalhadores da beleza pedem ao prefeito interino de Patos, Dr. Ivanes Lacerda, que flexibilize a abertura dos salões de cabeleireiros. Eles pedem que a Secretaria de Vigilância Sanitária do Município determina regras, tais como atendimento por hora marcada, não aglomeração nos estabelecimentos, uso obrigatório de máscaras, disponibilização de álcool em gel e outros itens de segurança.

A manifestação dos profissionais da beleza se somou aos dos pequenos comerciantes do Mercado Público Darcílio Wanderley que pedem também a reabertura do órgão. Nos adesivos nas blusas e camisetas estava escrito: “O comércio de Patos quer trabalhar e sobreviver. Pela vida, pelo comércio local e pela abertura segura”.

A queixa dos pequenos comerciantes é de que parte do comércio está aberto, mesmo não sendo serviços essenciais. Em alguns casos, as portas estão entre abertas e os clientes sendo atendidos na calçada. Relatos de que o decreto não está sendo cumprido e de que a Prefeitura de Patos faz vistas grossas.

Causou estranheza na manifestação a presença de membros da extrema direita e de pré-candidatos a vereador nas eleições de 2020. Entre os mais entusiasmados, e que fazia uso do carro de som com palavras de ataque ao prefeito interino, estava um comerciante que chama manifestantes de vagabundos e que passou a ser o maior defensor do presidente Bolsonaro. O presidente vem sendo mau exemplo das regras estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde.

Os representantes dos salões de beleza e do Mercado Público estão em busca de reunião com o prefeito interino Ivanes Lacerda para se chegar a um consenso.



Jozivan Antero – Patosonline.com