• Dra Milena
LocaisPolicial

Proprietário da Lojas Bugary pede justiça por crime avaliado em mais de R$ 1,6 milhões arquitetado por casal que gerenciava a empresa em Patos. VÍDEO

ÓTICAS GUIMARÃES

Na manhã desta segunda-feira, dia 05 de setembro, o senhor Manoel Bugary, proprietário das Lojas Bugary, postou um vídeo em suas redes sociais onde pede justiça por parte das autoridades com relação a um crime no valor de 1 Milhão de Reais, que teria sido arquitetado pelo casal de gerentes da loja na cidade de Patos.

Manoel disse que a esposa do gerente confessou o crime que fez e acusou as pessoas que compraram as mercadorias. O proprietário pediu que a polícia identifique as pessoas que estavam comprando o material de furto e fez um apelo para que as autoridades não deixem o crime impune.

“Se trata de um furto de R$ 1,6 milhões em Patos, onde roubaram clientes, onde roubaram a gente. Foi um gerente e foi a esposa dele, que era o caixa da loja. Eles dois juntos produziram um furto de mais de R$ 1,6 milhões e tem as pessoas que compraram, tá tudo claro, tá tudo esclarecido. Então, a polícia tem muitos fatos aí pra apurar. Eu vou pedir, senhor delegado, senhor promotor da cidade de Patos, aos senhores juízes, que por favor, não deixe esse crime impune, esse dinheiro vai me fazer muita falta. Não é justo a pessoa tirar um valor desse de mim e ficar impune, isso é um absurdo, não pode ficar assim. Eu só tô pedindo justiça, eu quero justiça, que puna os culpados. […] Eu tô aqui pedindo pelo amor de Deus, o senhor que é um juiz, um promotor, um delegado, por favor, não deixa isso impune. Isso é muito ruim, hoje é comigo, amanhã será com você. É muito triste o que eu estou passando, o que fizeram comigo foi desumano”, relatou.

De acordo com o proprietário Manoel Bugary, o casal de gerentes vendiam os produtos, mas não emitia notas fiscais, com isso, eles não podiam solicitar novos produtos na matriz, visto que no sistema da empresa não constava a venda. Ao chegar um novo cliente na loja, pagando à vista, a venda era realizada com o prazo de entrega de 15 dias, onde era entregue um recibo e o casal supostamente ficaria com o dinheiro da venda, não passando ao caixa da loja.

Veja o vídeo abaixo:

Veja tambémEm Patos: Proprietário da Lojas Bugary fala sobre suposto crime avaliado em mais de R$ 1 milhão arquitetado por casal que gerenciava a empresa. OUÇA

Matéria por Patosonline.com

Com vídeo retirado da página oficial da loja


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo