Promotor de justiça afirma que não está havendo fiscalização eficaz, o mercado público e mercado da carne podem fechar temporariamente. Ouça



O promotor de justiça da cidade de Patos, Uirassu Medeiros, disse durante entrevista recente que a reunião ocorrida na última segunda-feira, dia 19 de maio, com representantes da Prefeitura de Patos, foi encabeçada pelo Ministério Público Federal, e contou com vários órgãos de fiscalização e justiça, além de várias pastas da gestão municipal, principalmente a saúde.

A pauta, segundo o procurador, girou em torno das preocupações com o aumento expressivo de casos positivos para o Covid-19 no referido município, que nesta quarta-feira (20), atingiu a marca de 359 casos detectados com a doença.

Ele também citou que a população ainda tem se mostrado resistência diante das medidas que recomendam o isolamento social, e frisou que além dessa problemática a reunião também abriu espaço para um esclarecimento sobre as verbas federais destinadas ao combate do coronavírus na cidade de Patos.

Uirassu também destacou que as formas de fazer valer as determinações dos decretos estaduais e municipais também foram discutidas, e explicou que o Mercado Público e Mercado da Carne foram os grandes focos da reunião, justamente por serem locais de grande aglomeração de pessoas de várias localidades da região.

No geral, além das medidas mais rígidas de isolamento social, o momento ainda colocou em pauta a capacidade dos agentes públicos na fiscalização de ambientes de mais aglomeração.

Caso a Prefeitura de Patos não disponha de efetivo para fiscalizar corretamente os dois mercados citados, deverá haver o fechamento temporário dos dois estabelecimentos.

Ouça mais detalhes na entrevista que segue.

Promotor de Justiça da cidade de Patos, Uirassu Medeiros

Matéria por Patosonline.com

Áudio – Higo de Figueiredo (Rádio Espinharas)




Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Patosonline.com não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2020 se encerrarem.