• Dra Milena
Policial

PRF diz que usou “técnicas de menor agressividade” em abordagem que resultou na morte de um homem, em Sergipe

ÓTICAS GUIMARÃES

Genivaldo de Jesus Santos, um homem negro de 38 anos, morreu após ser abordado por policiais rodoviários federais de Umbaúba, município no litoral sul de Sergipe. A ação aconteceu na tarde de ontem e, segundo nota oficial da PRF (Polícia Rodoviária Federal) de Sergipe, “técnicas de menor agressividade” teriam sido aplicadas para dominar o homem, destoando do conteúdo gravado por testemunhas durante o incidente. A corporação ainda citou que ele “passou mal” ao ser levado da estrada em que foi abordado.

Vídeos da abordagem e detalhes do boletim de ocorrência mostram que os policiais usaram o que pareciam ser bombas de gás lacrimogêneo para conter Genivaldo. O laudo do IML (Instituto Médico Legal) afirma que a causa de sua morte foi “insuficiência [respiratória] aguda secundária a asfixia”.

Genivaldo foi abordado em uma blitz na rodovia BR-101, enquanto pilotava uma motocicleta. Imagens captadas por testemunhas presentes no momento da ação mostram três agentes da PRF tentando imobilizar o homem de 38 anos após identificarem uma cartela de remédios entre seus pertences.

Em nota oficial encaminhada à imprensa após a morte de Genivaldo, a PRF de Sergipe disse lamentar o ocorrido. Em seguida, o órgão ainda afirmou que um procedimento disciplinar foi aberto para investigar a conduta dos policiais envolvidos — uma ocorrência também foi registrada junto à Polícia Judiciária, que irá apurar o caso. Ainda não foi informado se os agentes serão afastados.

Ainda em nota, a corporação narrou que, durante a abordagem, o homem de 38 anos “resistiu ativamente a uma abordagem de uma equipe da PRF”. Em razão da “agressividade” de Genivaldo, segundo a corporação, os agentes empregaram “técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo para sua contenção e o indivíduo foi conduzido à delegacia da polícia civil da cidade”. Não ficaram claras, no entanto, quais foram as técnicas e instrumentos utilizados pelos policiais e que tipo de gás foi lançado no porta-malas da viatura.

No comunicado, a PRF ainda narrou que Genivaldo “foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil. No entanto, durante o deslocamento, passou mal, foi socorrido e levado para o Hospital José Nailson Moura, onde posteriormente foi atendido e constatado o óbito”.

Na manhã de hoje, a Polícia Federal emitiu uma nota afirmando que instaurou um inquérito policial para investigar as circunstâncias da morte de Genivaldo.

“Diligências acerca do caso já foram iniciadas, e a PF trabalha para esclarecer o ocorrido o mais breve possível”, pontuou o comunicado. A Polícia Civil, por sua vez, informou que já colheu depoimentos prestados por testemunhas e familiares do homem na delegacia da cidade.

Fonte: UOL


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo