Prefeito interino desperta revolta nos trabalhadores e servidores públicos do Município de Patos



O prefeito interino do Município de Patos, Dr. Ivanes Lacerda (MDB), vem recebendo inúmeras críticas diante da forma que vem tratando os assuntos ligados aos trabalhadores e os servidores públicos do Município. Sindicatos de luta e os próprios funcionários tem se posicionado com revolta em várias situações criadas pelo gestor e seus assessores.     

Em relação aos servidores efetivos do Município de Patos, as reclamações se dão em fatos como descontos nos vencimentos conquistados em gestões anteriores, transferências sem justificativa, diminuição de gratificações e direitos, falta de condições de trabalho, disparidade salarial e indiferença no tratamento do gestor com o funcionalismo público.

Na Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STtrans), 5 Agentes de Trânsito vem sendo perseguidos no que diz respeito a gratificações nos seus vencimentos. Os funcionários desenvolvem suas atividades de forma exemplar no órgão, porém, tiveram redução drástica nos salários e o que é pior: sem nenhuma a justificativa por parte da gestão municipal.

No Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), os condutores, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentre outros, tiveram redução nas gratificações. Os valores variaram entre R$ 200,00 e R$ 500,00, além de distorções contraditórias no adicional noturno, pois os valores estão diferenciados para os que exercem a mesma função.

Alguns educadores físicos ligados a Secretaria de Saúde do Município de Patos tiveram perdas de mais de R$ 1.000,00 nos seus vencimentos. Com salário mínimo nos seus contracheques, a insatisfação com o prefeito interino tem gerado revolta e críticas duras ao interino.

Mas a indiferença do prefeito interino Ivanes Lacerda não é apenas com os servidores efetivos. O Sindicato dos Garis relatou que o prefeito é arrogante e desrespeitoso com os problemas da categoria em Patos. Atrasos salariais e na cesta básica tem sido constante por parte da Empresa Conserv, que presta serviço terceirizado à Prefeitura. Ivanes chegou a dizer que não tem nada a ver com a situação dos garis, mas que se o serviço parar vai cobrar da empresa uma posição. O presidente do sindicato disse que é de responsabilidade do prefeito sim, pois ele é o contratante.

Trabalhadores que ingressaram na Prefeitura Municipal de Patos através de processo seletivo também expressam insatisfação com o interino. Os professores que foram dispensados cobram pagamento por direito do Décimo Terceiro Salário. A gestão tem colocado empecilhos para pagar o direito e os trabalhadores denunciam jogo de “empurra”. Eles dizem que perambulam da Secretaria de Administração do Município de Patos para a Procuradoria do Município, porém, não se resolve a questão.

O Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região (SINFEMP), sindicato mais atuante e combativo, chegou a dizer através dos seus dirigentes que Ivanes é o pior gestor que a cidade já teve para os funcionários públicos e trabalhadores.


Jozivan Antero – Patosonline.com