Prefeito de Patos dá prazo para auxiliares pré-candidatos



O prefeito de Patos, Nabor Wanderley (PMDB), estipulou o dia 30 de março, como data limite para desincompatibilização de secretários, diretores de instituições e autarquias, detentores de cargos de confiança, comissionados e demais auxiliares, que porventura desejem disputar cargo de vereador nas próximas eleições.


Wanderley disse ter em mãos uma lista contendo todos os pré-candidatos e que estes devem se afastar do governo até esta data caso queriam concorrer a uma vaga na Câmara Municipal.


"Já fizemos todo um levantamento e enviamos correspondência para todas as secretarias comunicando nossa decisão", acrescentou ele. Nabor ainda afirmou que vem mantendo contato os partidos aliados que indicaram secretários. "Estamos estudando que nomes podem substituir os que vão deixar o governo".


Ele disse que ainda não definiu os nomes, acrescentando que não vai admitir o uso da máquina nem tampouco o envolvimento no pleito de auxiliares do governo que estejam exercendo cargo público. "Quem desejar participar da campanha eleitoral, vai ter que desocupar o cargo".


Nabor acrescentou que não vai permitir o uso da máquina pública como aconteceu no passado recente em Patos quando o ex-prefeito obrigou professores municipais a sair nas ruas pedindo voto para seu candidato.


Pelo menos dois secretários, entre outros auxiliares, deverão deixar o governo para concorrer a uma vaga na Casa Juvenal Lúcio de Sousa. O secretário de Meio Ambiente, Edileudo Lucena(indicado pelo PT) e o secretário-adjunto de Infra-estrutura, Rildian Pires (indicação do PC do B). Os dois já passaram pela Câmara anteriormente. "Até o final de março devemos escolher os nomes substitutos com os partidos aliados para que o governo não sofra com a falta de continuidade".


Quanto à campanha majoritária, Nabor revelou que até o final de abril deve decidir com os partidos aliados quem será o candidato do grupo. Ele disse que ainda não decidiu se sai candidato à reeleição, mesmo seu nome estando em boas condições nas pesquisas de intenção de voto.


"Este assunto só vamos discutir em abril quando deveremos definir o nome de consenso entre o PMDB e os partidos aliados", garantiu ele. Ele garantiu que caso seu nome não esteja bem no momento da escolha e que se aparecer um nome de mais expressão, ele apoiará quem estiver em melhores condições.


Vicente Conserva – Assessor Especial do Gabinete do Prefeito