• Dra Milena
Politica

Por 23 votos a 11, comissão especial rejeita PEC do voto impresso na noite desta quinta-feira (05)

ÓTICAS GUIMARÃES

A comissão especial da Câmara dos Deputados criada para analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que torna obrigatório o voto impresso rejeitou por 23 votos contrários e 11 a favor nesta quinta-feira, 5, o avanço da PEC para aprovação no Plenário da Câmara. A decisão foi lamentada pelo deputado federal Filipe Barros (PSL-PR), relator do documento, nas redes sociais. “Infelizmente, VOTO IMPRESSO + APURAÇÃO PÚBLICA foi rejeitado”, lamentou. A deputada Bia Kicis (PSL-DF), criadora e defensora da PEC, também se posicionou nas redes. “Dia lamentável para a democracia brasileira. Perdemos a batalha mas não a guerra”, afirmou, citando que o presidente da Casa, Arthur Lira, ainda pode enviar projeto para Câmara.

Falando a favor da PEC em sessão nesta quinta, Kicis citou um relatório da Polícia Federal que traz informações cedidas pelo secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Dutra Janino, dizendo à PF que “existe a possibilidade de manipulação de arquivos de configuração que alimentam o software da urna”. “As vísceras da fragilidade do sistema estão expostas, o povo foi às ruas para exigir transparência eleitoral”, disse, afirmando que não tem como provar fraudes, mas tem como provar uma invasão ao sistema. Falando contra o voto impresso, a deputada Fernanda Melchionna citou supostas “ameaças golpistas” do governo e disse que Jair Bolsonaro é “delinquente que acha que tem condições de ameaçar a realização das eleições”.

Apesar da rejeição, o projeto ainda deve ir ao Plenário, já que as comissões especiais não apresentam caráter conclusivo. Agora, diante do parecer negativo, todos os deputados da Casa deverão votar um novo parecer a ser redigido pelo deputado Junior Mano (PL-CE), novo relator do projeto. Ele precisará fazer um parecer pela rejeição do texto que, se apoiado pela maioria do colegiado, deverá ser enviado para votação no Plenário.

Jovem Pan


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo