Policial

Polícia Militar desarticula "Quadrilha" em Patos

Numa operação conjunta, policiais civis e militares começaram a desarticular uma quadrilha de bandidos envolvida em diversos crimes na região de Juru. A prisão dos irmãos Manoel Antonio de Lima Filho, o “Manoel Cambota”, 30 anos (foto acima), e Aluziano Manoel de Lima, 35 anos, ocorreu na manhã de ontem (sexta-feira, 28), na rodoviária de Patos, quando uma equipe da Polícia Civil comandada pela Delegada Ana Valdenice recebeu a informação de que os acusados iam chegar àquela cidade vindos da cidade de Fortaleza-CE.

 

Manoel Antonio foi preso em cumprimento a um mandado de prisão expedido pelo Dr. Iano Miranda, juiz da comarca de Água Branca-PB. O seu irmão Aluziano foi preso em flagrante delito por porte ilegal de arma, pois na ocasião portava um revólver calibre 32, cerca de 40 (quarenta) cartuchos, 30 (trinta) carregadores de celular, 05 (cinco) celulares e 08 (oito) chips para celular.

 

No mesmo dia, às 16h30min, uma equipe da 4ª Companhia de Princesa Isabel, sob o comando do Capitão Jurandy e composta dos militares Sgt Adeilton e Sd Martins, prenderam na cidade de Afogados da Ingazeira-PE, o acusado Dhiego Figueiredo Severiano, de 22 anos (foto abaixo), em cumprimento a um mandado expedido pelo mesmo juiz.

 

Segundo um levantamento feito por policiais militares do Destacamento de Juru, os acusados presos são suspeitos de participação no latrocínio que vitimou o jovem Zé Ildo daquela cidade, fato ocorrido em 02/02 deste ano. Uma testemunha arrolada no inquérito revelou que o crime fora executado por Dhiego e outro jovem da cidade de Tavares, tendo o planejamento sido feito por Manoel Cambota (um dos presos na rodoviária de Patos).

 

Os tiros mortais teriam sido disparados por Dhiego, enquanto que o segundo acusado ainda guiava a moto. Fontes sigilosas informaram ainda que ocorreu, inclusive, uma comemoração na cidade de Água Branca, organizada pela quadrilha após a morte de Zé Ildo.

 

Segundo o Capitão Jurandy, pelo que foi levantado até o momento, não há indícios de latrocínio e sim de uma execução. O roubo da motocicleta teria ocorrido para confundir as investigações. Manoel Cambota, líder da quadrilha, já teve várias passagens pela polícia, tendo, inclusive, sido preso há alguns anos, acusado de praticar assaltos na região de Desterro-PB.

 

As investigações continuam em andamento, outros mandados de prisão estão sendo expedidos e outras prisões poderão ocorrer a qualquer hora. O motoqueiro que se encontrava guiando a moto no momento do crime com o Dhiego já foi identificado, porém, o seu nome só será divulgado após a sua prisão.

 

Além do crime supracitado, há fortes indícios, de que Manoel Cambota esteja envolvido em roubos ocorridos recentemente nas cidade de Juru, como o assalto a agência dos correios, ocorrido recentemente, pois na bolsa do seu irmão, Aluziano, foi encontrada uma foto de um dos bandidos que participou do assalto. Ainda de acordo com o Capitão Jurandy, a quadrilha praticava assaltos na região de Juru e vendia os produtos em Fortaleza, e vice-versa.

 

3º BPM

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
close