Polícia apreende motores-bomba no Vale do Piancó



"bombas"Policiais da Delegacia Regional de Itaporanga, liderados pelo Delegado Steferson Gomes, cumpriram mandado de busca e apreensão na tarde desta quarta-feira (20), em Santana dos Garrotes, no Vale do Piancó.

A ordem judicial é da comarca de Itaporanga e foi solicitada pela Delegacia Regional, que investiga furto e receptação de motores d’água na zona rural do Vale. Em Santana dos Garrotes, por exemplo, são furtados, em média, dois motores por mês; enquanto que no município itaporanguense foram mais de 30 furtos somente no ano passado.

A busca e apreensão foi na residência do negociante Luzimar Lopes Rodrigues, de 41 anos, onde os policiais encontraram e apreenderam 12 motores, avaliados em dez mil reais, e uma espingarda calibre 28, além de munição.

O homem, que é conhecido como Neném de Pedro Rodrigues, foi preso por posse de arma, mas pagou fiança de 300 reais e vai responder ao processo em liberdade, no entanto, continuará sendo investigado com relação aos motores apreendidos em sua casa. Em seu depoimento, Luzimar disse que alguns dos motores estavam em sua residência para conserto, e outros ele havia comprado a pessoas da região.

Mas as bombas vão continuar apreendidas porque o detido não conseguiu provar a procedência dos produtos, e a polícia está convocando proprietários rurais da região que tiveram motores furtados para passar na delegacia de Itaporanga. “Nós vamos convocar todas as pessoas que prestaram queixa por furto de motores para saber se algum deles está entre os apreendidos, e caso algum seja produto de furto, o homem também será indiciado por receptação”, comenta dr. Steferson.

Já o advogado José Paulo, que defende Luzimar Rodrigues, sustenta que seu cliente é um homem de negócios, comprando e vendendo vários produtos licitamente, entre eles gado e motores. “Ele não tem envolvimento com produtos ilegais e disse ao delegado a quem havia comprado cada um dos motores, e que também trabalha no conserto de motores”, enfatiza o advogado.

Da assessoria da Adepedel

Foto/Folha do Vale