Polêmica: Vereadores de Patos x jornalistas



Os vereadores de Patos voltaram a se reunir na noite desta terça-feira (11) e aprovaram 24 (vinte e quatro) requerimentos de autorias diversas, e 01 (um) Projeto de Lei do Poder Executivo Municipal.

O destaque foi para o requerimento de autoria do vereador Sales Júnior (PRB) que solicita do Poder Executivo, a reconstrução das casas afetadas pelas fortes enxurradas que caíram no município em abril desse ano.

Com a promessa dos políticos de solução para o problema das pessoas prejudicadas, muita gente continua padecendo em abrigos improvisados e nenhuma atitude foi tomada pelos poderes públicos quanto à recuperação das residências.

Destaque também na Casa de Juvenal Lúcio de Sousa foi o rebate do vereador Ivanes Lacerda (PSDB) contra as críticas indiretas, que segundo ele, estão sendo atribuídas a sua pessoa pelo jornalista Vicente Conserva, funcionário da Rádio pertencente ao Prefeito Nabor Wanderley (PMDB).

Ivanes não economizou adjetivos e não escondeu a revolta que está sentindo em relação ao profissional que supostamente insiste em criticá-lo sem mencionar sua identificação.

Segundo o vereador, sem dizer seu nome, Conserva teria o mandado “ir trabalhar” e o ameaçado com a pejorativa “se não o Cancão vai piar”. Se referindo, no entanto, a ausência do vereador nas quintas-feiras no legislativo.

Além de vereador, Lacerda é médico e nas quintas costuma dar plantões na Capital João Pessoa. Ivanes Lacerda disse que é funcionário público e a pelo menos 05 (cinco) anos nunca gozou férias.

O oposicionista disse que o jornalista não quer aceitar as críticas que ele as considera construtivas ao Poder Executivo e boa parte de seu expediente na emissora, aproveita para dirigir insinuações ao Poder Legislativo e a alguns vereadores de oposição.

“Esse cara pega no meu pé direto! Direto no meu pé, todo dia, não me larga (…) agora por que ele não pronuncia o nome? Por que ele não critica o vereador Zé Motta, o vereador Marcos Eduardo, eles não cometem erros? Será que só sou eu que cometo erros?” Desabafou Lacerda.

O vereador disse que a mesa diretora tem que tomar providências em relação ao assunto por que a aceitação está se tornando “conivente” e atribuiu ao funcionário da Rádio do prefeito de Patos, marcação e uma perseguição ao Poder Legislativo.

Mencionado pelo vereador Ivanes que também atribuiu perseguição do jornalista a sua pessoa como vereador, Almir Mineral pediu um aparte e soltou, ao final da sessão, um tom mais áspero no seu discurso. “Já chamou nós vereadores de certa forma de lagartixas, disse que vereador é só pra balançar a cabeça, pois o prefeito é quem manda (…)”. Denunciou.

Por outro lado à vereadora Maria José dos Santos Venâncio, “Peteca”, (PRP) atribuiu ao Jornalista Jeferson Saldanha, que estava na Tribuna dos Jornalistas, insinuações capciosas a seu respeito numa suposta entrevista que a mesma teria concedido a emissora.

Recentemente a vereadora teve um membro de sua família preso acusado de tráfico de droga e, segundo ela, a pergunta feita pelo jornalista fazia menção a situação, paralelamente a sua campanha vitoriosa nas últimas eleições em Patos.

Saldanha se surpreendeu com acusação indubitável de “Peteca” e disse que jamais faria uma pergunta absurda dessas. Ao final do discurso da vereadora ele a chamou e pediu explicações pelo fato.

Ela ficou completamente hesitada e perguntou ao jornalista: “E não foi você que perguntou não? Ah então desculpa, vou pedir desculpas a você”.

Por sua vez o jornalista exigiu retratação de “Peteca”, em público e de preferência na próxima sessão da Câmara.


Mário Frade/Portalpatos