PF prende acusados de fraudar licitações na construção civil



Uma Força-Tarefa composta pela Polícia Federal, o Ministério Público-PB, através do GAECO, o Tribunal de Contas do Estado da Paraiba e a Secretaria de Defesa Econômica do Ministério da Justiça, prendeu na manhã desta quinta-feira (28) seis pessoas acusadas de formar uma quadrilha que fraudava processos licitatórios.

O cartel agia na região de Patos, no Sertão paraibano. Entre os envolvidos está o secretário de Finanças da cidade de Cacimba de Areia, Írio Fernandes.

Além do secretário Írio também foi presa a esposa dele, Zenaíde Pereira dos Santos. Ainda, o contador José Murilo; o empresário da área de construção civil Marconi Edson Lustosa, mais conhecido como Duda, e a esposa dele Maria do Socorro Lustosa.

Todos as pessoas presas estão na sede da DPF em Patos prestando depoimento, apenas o contador foi encaminhado ao presídio de Patos.

A investigação contra o grupo de fraudadores foi iniciada em julho de 2008. O objetivo da operação é reprimir o crime organizado no Estado, especialmente combater cartéis em licitações na área da construção civil.

De acordo com o procurador de Justiça e coordenador da Comissão Estadual de Combate à Sonegação Fiscal Francisco Sagres, os fraudadores além de criar empresas fantasmas, também usavam carimbos falsos de delegacias e de cartórios para legalizar os documentos que eram apresentados nos certames.

Muitas das obras que foram licitadas pelo grupo não foram executadas e a estimativa é de que a quadrilha tenha causado um prejuízo aos cofres públicos de cerca de 10 milhoes de reais.

Os seis mandados judiciais de prisão preventiva e 11 de busca e apreensão foram expedidos pela 4ª Vara Judicial da Comarca de Patos. As buscas foram realizadas nos municípios de Patos onde moram alguns dos acusados, Cacimba de Areia e Areia de Baraúnas.

Nestas duas últimas cidades eram aplicados os golpes.

Durante todo o dia os presos serão interrogados pelos delegados da Polícia Federal, e a documentação apreendida – mídias, documentos e carimbos de delegacias e de cartórios – será objeto de análise por parte de policiais-analistas.

A operação contou com o apoio do Poder Judiciário da Comarca de Patos, de Promotores de Justiça da Comarca de Patos e do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado-GAECO.

Portal Correio