Peteca: Da favela para a Câmara



O Bairro das Sete Casas, cidade de Patos, por muitos denominado ainda de favela, por uma série de problemas de infra-estrutura vividos pela comunidade, hoje amanheceu radiante por ver um de seus moradores vencer, com 1.053 votos, candidatos de alto poder aquisitivo nas eleições deste ano para a Câmara Municipal.


A reportagem chegou cedo à humilde residência de Maria José dos Santos Venâncio (Peteca), 45 anos, casada com Francisco Ferreira Venâncio e mãe de sete filhos, dois adotivos, para revelar um pouco dessa surpresa nas corrida dos 96 candidatos à Casa Juvenal Lúcio de Sousa.


A cada frase emitida uma pausa para um abraço dos moradores. Foi nesse clima que Peteca nos recebeu. Agente comunitária de saúde desde 1998, ela não caiu de pára-quedas no Legislativo patoense como muitos pensam. Sua história política começou há 25 anos com a prestação de serviços à comunidade. Foi presidente da Associação Comunitária das Sete Casas e lutou bravamente por seu bairro.


Mesmo sem um mandato de vereadora conseguiu, dentre as conquistas para a comunidade, através de reivindicações ao Poder Executivo, poço artesiano; construção de calçamento para a Pedro Moura; construção de 137 casas; reforma de 87 casas; construção do grupo escolar Inácio Fernandes; programa do leite para os moradores que iam ficar de fora desse benefício; luz e água para a comunidade Cangote do Urubu, ações que causam inveja a muitos que já exerceram o cargo de vereador em Patos.


Eleita pelo PRP no Chapão, bloco de candidatos de baixo poder aquisitivo e de partidos sem muita expressão na cidade, Peteca, que ajudou a eleger outro da legenda, Edmilson Araújo dos Santos, agradeceu, de forma humilde, ao deputado Dinaldo Wanderley por ela ter chegado tão longe. “Ele sempre esteve pronto para atender meus apelos em prol do povo”, explica, acrescentando que sua rotina de atender o povo permanecerá, mesmo após ser empossada.


“A partir de hoje vou intensificar ainda mais meu trabalho na busca de melhoria de vida das pessoas mais necessitadas”, enfatiza.
Peteca diz que foi eleita pela amizade das pessoas e por seus serviços prestados, inclusive na Pastoral da Criança. A repertagem adiantou que não será vereadora representante do Bairro Sete Casas, mas do Município de Patos. Informou também que suas primeiras ações na Casa Juvenal Lúcio de Sousa serão de reivindicar melhorias da saúde, medicamentos para as unidades de saúde, moradias, saneamento básico para os bairros mais carentes, por entender que a saúde básica, como o próprio nome diz, é algo que todo cidadão deve ter acesso. “Não importa o partido. Vou ser amigo de todos os vereadores. Minha intenção é lutar pelo povo. Mas também vou cobrar e fiscalizar o Executivo Municipal, pensando no desenvolvimento local, cumprir o papel que a população espera de mim”, prometeu. 


Enquanto nos cedia entrevista recebeu a visita de sua futura colega do Legislativo, Josefa Cavalcante dos Santos (Zefinha das Bolsas), reeleita, que lhe deu grande abraço. Sobre Peteca, Zefinha disse se tratar de uma mulher de fibra, batalhadora e será muito importante a presença dela na Câmara. “É uma mulher de baixíssimo poder aquisitivo, conseguiu sua eleição por tudo quanto tem feito pelos pobres de nossa cidade, por isso merece essa grande vitória”, comentou.


Garimpandopalavras