• Dra Milena
Gerais

Pedreiro denuncia atraso de salários por parte de empresa responsável pela reforma do Parque Religioso Cruz da Menina, em Patos

Aldo conta que trabalhou na obra por cerca de três meses, porém, a empresa sempre atrasava os salários, efetuando o pagamento geralmente com 40 dias.

ÓTICAS GUIMARÃES

A redação do Patosonline.com recebeu nesta última quinta-feira, dia 28 de julho, o contato do internauta Aldo Medeiros, que trabalhou como pedreiro nas obras de reforma do Parque Religioso Cruz da Menina, denunciando atrasos de salários por parte da empresa responsável pela execução dos serviços.

Aldo conta que trabalhou na obra por cerca de três meses, porém, a empresa sempre atrasava os salários, efetuando o pagamento geralmente com 40 dias. Além disso, ele relata que após os serviços serem finalizados, a empresa coloca o funcionário pra fora sem efetuar os devidos pagamentos dos salários.

“Eles bota pra fora lá, termina, não precisa mais dos serviços, e não paga direito. Foram três meses que trabalhei lá, três meses de sufoco, passando da data, não pagava direito, o que tinha direito na carteira eles não davam, davam só o salário seco e mesmo assim com 40 dias, passando da data”, relatou.

Ele relatou que deixou de trabalhar no local há pouco mais de 3 semanas e recebeu a informação de outros funcionários que a obra está sem material. O mesmo disse, também, que o problema referente aos atrasos não aconteceu apenas com si, mas também com demais colegas de trabalho.

“Tá lá minha carteira com eles pra dar baixa, e eles não deram, que eles tem 10 dias pra dar baixa assim que o caba entrega; tá aí o FGTS, que eu tenho que receber; tem meu abonos de 3 meses; direitos que tem na carteira da construção civil, tudo isso tá lá envolvido, e num é só eu não, teve um outro lá que faz dois meses que tava atrás de receber 10 dias trabalhados. É uma empresa que num sei não, LL Construções”, relatou.

A redação do Patosonline.com deixa o espaço aberto para os representantes da empresa citada se pronunciarem a respeito da denúncia.

Patosonline.com


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo