Locais

Patos tem mais de 12.200 trabalhadores com carteira assinada até novembro de 2022, informa o CAGED

ÓTICAS GUIMARÃES

O município de Patos terminou o mês de novembro de 2022 com 12.258 trabalhadores com carteira assinada, segundo as informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados-CAGED, do Ministério do Trabalho e Previdência Social.

O quantitativo atual representa um crescimento de 676 empregos formais, ou 5,83%, em relação aos 11.582 empregados formalizados até novembro de 2021, somando todos os segmentos da economia patoense.

Na divisão por segmentos quem mais emprega em Patos é o comércio, responsável pela contratação formal de 4.786 trabalhadores, e um crescimento de 263 empregos formais ou 4,13% em relação as 4.596 contratações registradas até novembro de 2021. O comércio também é responsável por 39,04% dos empregos com carteira assinada de Patos.

O setor de serviços tem 4.756 contratações e responde por 38,79% dos empregos formais do município. O segmento conseguiu aumentar 230 postos de trabalho até novembro de 2022, ou 5,08% em relação aos 4.526 empregos registrados no mesmo período de 2021.

A indústria patoense possui por 1.785 vagas formalizadas em Patos até novembro deste ano, o mesmo que 14,68% dos empregos com carteira assinada da cidade. O crescimento foi de 59 vagas no mercado formal, o que representa 3,41% em comparação aos 1.726 empregos do setor nos 11 meses de 2021.

A construção civil ocupa 885 trabalhadores em novembro deste ano, o mesmo que 7,21% de toda a mão de obra ocupada em Patos. Em comparação com os 686 empregos que tinha em novembro de 2021, houve crescimento de 78 postos de trabalho, o mesmo que 29%.

O segmento que menos emprega na economia patoense é o setor agropecuário, que registra 46 trabalhadores empregados, o mesmo que 2,03% dos empregos formais de Patos. Em novembro de 2021 o setor tinha 48 empregos com carteira assinada, registrando uma queda de 2 vagas no mercado formal, ou 4,16%.


Por Genival Junior – Patosonline.com


Mostrar mais
Botão Voltar ao topo