Patos poderá implodir – Por Zé Gonçaves



Pelo andar da carruagem, se a nossa cidade fosse localiza no Oriente Médio, já teríamos implodido, mas ela caminha, mesmo no Ocidente, rumo a esse caminho.

É uma verdadeira aberração o que está acontecendo com a construção em áreas populacionais de Postos de Combustíveis em nossa cidade com o consentimento, autorização por parte de instituições e órgãos públicos, que tem a obrigação de preservar  e assegurar a segurança da população.

O CREA- Conselho Regional de Arquitetura, a Prefeitura Municipal de Patos, o tão bem conceituado Corpo de Bombeiros, não podem permitir a construção de Postos de Combustíveis em locais, colados a residências, a exemplo do recém-construídos, na Rua Antônio Félix, no Bairro da Vitória, do Alto da Tubiba e para completar, o mais recente que está sendo construído ao lado da Feira da Troca, em plena área residencial e comercial do centro da cidade.

Interessante é que esses órgãos e instituições quando é para fiscalizar a casa de um pobre, eles agem rapidamente e lembro agora dos trabalhadores que produziam fogos, bem próximo a rua do meio, que a fiscalização foi rigorosa e os mesmos tiveram que ver outro local para trabalhar, não que eu seja favorável a manutenção do trabalho no mesmo local, mas quando é uma coisa mais grave, com uma proporção bem maior, com um risco incalculável, como é o caso de combustíveis, essas instituições e órgãos públicos, ficam cegos.

"Patos"

Os Postos de Combustíveis antigos no município, a exemplo do “Apolo XI”, Posto Brasília, Petrobrás, Carreteiro, CID Posto, o da saída de Piancó, Tigrão, até se justifica, pois foram construídos antes, mas permitir que se construam postos no centro da cidade e em bairros residenciais  é uma verdadeira aberração.

Posto Viola, Posto Gipagel, Posto Teixeira, Posto Paizão, Posto São Sebastião, Almeida e esse outro em plena área residencial e comercial, é uma vergonha para as autoridades de uma cidade com mais de 100 mil habitantes.

Por José Gonçalves

 

"Posto