Pai de Gefferson Moura continua intubado na UTI e filha pede orações



A enfermeira cajazeirense Gabriela Moura, irmã do empresário Gefferson de Moura Gomes, de 32 anos, que foi assassinado a tiros por policiais de Sergipe na noite da terça-feira (13) em Santa Luzia, Sertão da Paraíba, pediu orações para o seu pai, o policial militar reformado, Geraldo Mangela que está internado em um hospital particular de João Pessoa, após contrair a Covid-19.

Geraldo Mangela de 60 anos, está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e teve de ser intubado, na noite da quinta-feira (25).

A maquiadora Gabriela também disse que o seu pai apresentou um quadro positivo e está reagindo ao tratamento intensivo.

‘’Meu pai continua entubado, com melhoras positivas. Estão desligando as sedações para ele acordar. Acorda pai’’, disse nas redes sociais.

Seu Geraldo Mangela, é pai de Gefferson Moura, jovem que foi morto a tiros durante uma abordagem de policiais sergipanos, na cidade de Santa Luzia, no dia 16 de março.

Gefferson estava a caminho de Cajazeiras para cuidar do pai, que tinha sido diagnosticado com Covid-19.

O CASO 

Um operação policial da Polícia Civil de Sergipe na noite desta terça-feira (16) resultou na morte de um jovem de 30 anos em Santa Luzia, Sertão paraibano, De acordo com a Polícia Civil da Paraíba (PCPB), não houve nenhuma participação da polícia paraibana na operação e uma investigação foi aberta para apurar e entender o caso.

A vítima foi identificada como Jefferson de Moura Gomes, que é natural de Cajazeiras, estava passando pelo local em um carro quando foi alvejado a tiros pelos policiais. Em contato com o Diário do Sertão, Geraldo Magela, pai de Jefferson revelou que o filho foi confundido com um assaltante.

Diário do Sertão