Pacientes de Covid só podem ser recebidos no Complexo Hospitalar de Patos mediante regulação reforça diretor geral da unidade



Uma das referências para atendimento de casos de Covid no sertão paraibano, o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos (CHRDJC) tem absorvido a demanda de cerca de 60 municípios da região de pacientes com coronavírus ou quadro suspeito da doença. Nesta quinta-feira (18) o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, voltou a orientar os secretários de saúde dos municípios que integram a 6ª Regional e os representantes de unidades de saúde sobre o fluxo correto de regulação de pacientes Covid para a unidade. Para realizar o processo de regulação basta acessar o e-mail [email protected] ou o telefone 3211-9087.

 Francisco reiterou que todo paciente Covid só poderá ser admitido no Complexo de Patos mediante regulação. “Todo paciente precisa ser regulado mediante a Central de Regulação Estadual. Isso vale para qualquer unidade de saúde estadual referência para casos de Covid. Esse processo se faz necessário para assegurar maior eficiência no atendimento aos pacientes e melhor organização por parte da rede de suporte hospitalar”, afirma Francisco.

O diretor geral lembra que o Complexo de Patos não funciona como ‘portas abertas’ para Covid, ou seja, não tem condições de receber ambulâncias direto sem que o paciente tenha sido antes encaminhado pelo sistema de regulação. “Esse processo de regulação é quem assegura o leito para acolhimento do paciente Covid no Complexo”, reitera Francisco, lembrando aos gestores da 6ª Região de saúde que a cidade que não tiver UPA ou Policlínica precisa ter um ponto de apoio para realizar esse processo de regulação.

Ainda segundo Francisco, a Central de Regulação é quem monitora o fluxo de leitos em todo o sistema estadual de referência para casos de Covid. “É preciso respeitar esse processo, pois é justamente ele que facilita o encaminhamento de pacientes e assegura a assistência onde há disponibilidade de leitos. Nós não podemos quebrar esse fluxo, principalmente, neste cenário difícil que estamos vivendo”, finaliza o diretor geral do Complexo.

Assessoria