Policial

Operação prende dez e busca PMs que integram grupos de extermínio

ÓTICAS GUIMARÃES

Policiais acusados de envolvimento em grupos de extermínio são alvos de uma ação deflagrada na madrugada desta sexta-feira (27) na região metropolitana de João Pessoa. Mais de 200 homens das Polícias Federal, Civil e Militar participam da Operação Águas Limpas.

O objetivo é cumprir 19 mandados de prisão em João Pessoa, Bayeux, Santa Rita e, ainda, no Distrito Federal, contra pessoas indiciadas pela Justiça. Nove são direcionadas a policiais militares, por participação nas execuções. Além disto, também há 38 mandados de busca e apreensão de documentos e aparelhos que possam contribuir para as investigações.

As equipes saíram em comboio por volta das 2h da Central de Polícia, na Capital, em direção à Superintendência da Polícia Federal, em Cabedelo, onde foram traçadas as estratégias de ação.

Mais de dez pessoas, sendo a maioria policiais militares, estão detidas na Central de Polícia. De acordo com Getúlio Machado, diretor da Central, os acusados já estão prestando depoimento. Com eles a polícia apreendeu várias armas e munições.

As investigações tiveram início em 5 de janeiro deste ano, pela Polícia Civil, com base em informações de existência de grupos de extermínio no Estado, e se desenvolveram em regime de cooperação com a Polícia Federal, que apurou a existência de uma rede de tráfico de armas, grupo de extermínio entre outros crimes.

A denominação Águas Limpas para a operação está relacionada a uma das acepções do nome Paraíba, significando águas revoltas, turvas, tendo as instituições envolvidas na investigação o intuito de combater a criminalidade, depurando, inclusive as próprias corporações responsáveis em combater a violência.

A Secretaria Estadual de Segurança Pública programou uma entrevista coletiva para as 10h desta sexta-feira. O secretário Gustavo Gominho vai apresentar os resultados.

Paraiba1

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo