Operação investiga licitações da Prefeitura de Alhandra orçadas em mais de R$ 577 mil para reforma de carteiras



Com 21 unidades escolares na rede municipal de ensino, sendo 3 creches e 18 escolas, a prefeitura gastou mais de meio milhão nos últimos dois anos em reforma de carteiras escolares.

A Polícia Civil da Paraíba deflagrou uma operação nesta quarta-feira (11) para investigar processos licitatórios feitos pelo prefeito da cidade de Alhandra, Renato Mendes. De acordo com as primeiras informações, há indícios de irregularidades na contratação de empresas prestadoras de serviço de reforma em carteiras escolares, cadeiras e armários.

Os contratos investigados por irregularidades estão orçados em mais de R$ 577 mil. A Operação de perícia está sendo desencadeada pela Delegacia Especializada de Repressão à Corrupção (Deccor) e Delegacia Especializada de Repressão ao Crime Organizado (Draco) da Paraíba.

Com 21 unidades escolares na rede municipal de ensino, sendo 3 creches e 18 escolas, a prefeitura gastou mais de meio milhão nos últimos dois anos em reforma de carteiras escolares. De acordo com o Sistema de Acompanhamento de Gestão dos Recursos da Sociedade (Sagres), do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), no ano de 2019 os gastos chegaram a R$ 316.135,00, mas em 2018, a gestão municipal já havia realizado uma contratação para o mesmo serviço, desembolsando dos cofres públicos R$ 261.900,00 apenas com reformas de carteiras.

Até o momento, apenas uma escola teria sido vistoriada. As perícias deverão acontecer durante as aulas, de maneira segura e que não atrapalhe o ensino, para verificar a qualidade dos serviços contratados durante o uso dos materiais.

A operação conta também com a participação de três peritos do Instituto de Polícia Cientifíca (IPC) e policiais da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) e da Delegacia de Repressão a Entorpecentes.

Click PB