Operação da PF evita chacina em Catolé do Rocha



Em entrevista a imprensa na tarde desta quinta-feira (24/01), o delegado da Polícia Federal em Patos, Dr. Derli Brasileiro, afirmou que a operação realizada durante o dia de hoje em todo Sertão da Paraíba, evitou que ocorresse uma chacina na cidade de Catolé do Rocha.

 

Segundo o delegado, algumas pessoas que foram presas, confessaram a polícia, que pretendiam realizar várias mortes, de forma simultânea na cidade de Catolé do Rocha, que o Sertão já mais iria esquecer.

 

“Esse fato fez com que a Polícia Federa apresasse a operação, com o objetivo de salvar várias vidas humanas”, declarou o delegado.                      

 

O principal palco da “Operação Rede Marginal” foi a cidade de São Bento/PB; contudo foram cumpridos Mandados também nos municípios paraibanos de: Catolé do Rocha/PB; Pombal/PB; Souza/PB/; Patos/PB e João Pessoa/PB; bem como nos estados de: Santa Catarina (Florianópolis); Ceará (Icó e Orós) e São Paulo (São Paulo).

 

Participaram desta Operação cerca de 206 policiais federais e rodoviários federais, os quais conseguiram prender cerca de 25 (vinte e cinco pessoas), dentre estas, um dos maiores pistoleiros da região Nordeste, conhecido pela alcunha de “Grampão”.

 

Com os presos foram apreendidos os seguintes materiais: dezenas de celulares; munição de calibres diversos; material para recarga de cartuchos; aproximadamente uma dezena de armas de fogo, algumas destas de uso restrito etc.

O título “Operação Rede Marginal” refere-se ao fato de ser a cidade de São Bento/PB, (local de origem e residência da maioria dos envolvidos nesta organização criminosa), uma das maiores produtoras de “redes para dormir”, no Brasil; bem como, muitos dos envolvidos têm como atividade lícita o comércio destes materiais.

 

Todos os presos foram ou estão sendo encaminhados para a Delegacia da Polícia Federal na cidade de Patos/PB, onde após interrogados e/ou autuados em flagrante, deverão ser encaminhados para presídios deste município, onde permanecerão a disposição da Justiça do Estado da Paraíba.

Marcos Oliveira com informações da PF